Neide Outeiro Pinto, coordenadora do Sepa, que trabalha com prevenção, diagnóstico e tratamento da Aids

Ednéia Silva

Neide Outeiro Pinto, coordenadora do Sepa, que trabalha com prevenção, diagnóstico e tratamento da Aids
Neide Outeiro Pinto, coordenadora do Sepa, que trabalha com prevenção, diagnóstico e tratamento da Aids

O Dia Mundial de Luta Contra a Aids foi comemorado nessa segunda-feira, dia 1º de dezembro. A data destaca uma triste realidade: o avanço no número de casos da doença entre jovens na faixa etária dos 15 aos 29 anos. No Estado de São Paulo, os casos aumentaram 23,2% nos últimos cinco anos, passando de 687 em 2009 para 847 em 2013.

Em Rio Claro a situação não é diferente. De acordo com a coordenadora do Sepa (Serviço Especializado de Prevenção e Assistência a DST/Aids), Neide Outeiro Pinto, desde 2006 há uma prevalência de 60 novos casos por ano no município. Sendo que no ano passado 35 desses casos ocorreram entre jovens de 15 a 24 anos.

Os dados foram divulgados por Neide em entrevista ao Programa Jornal da Manhã da Rádio Excelsior Jovem Pan nessa segunda-feira (1º). Segundo ela, existe a preocupação com os jovens porque eles não vivenciaram a epidemia de Aids em meados das décadas de 1980 e 1990, por isso tendem a banalizar a doença.

Neide também destaca a importância de fazer testes preventivos. Em Rio Claro, a maioria dos casos de Aids é confirmada com diagnósticos tardios, ou seja, quando a pessoa já está com a doença. Para facilitar o acesso, a Fundação Municipal de Saúde instalou o CTA Itinerante no Jardim Público nessa segunda-feira para atender a população. Ao longo da semana o CTA Itinerante vai percorrer vários bairros do município. O teste também pode ser feito nas unidades de saúde e no Sepa, que fica na Avenida 19 com a Rua 10, número 1.045.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Notícias:

Rio Claro confirma primeiro caso de dengue neste ano

Acidentes são registrados e motoristas apontam causa