Nova associação de catadores de recicláveis divide opiniões

254

Lucas Calore

A instalação da Associação de Catadores de Material Reciclável “Novo Tempo” em um terreno anexo ao ecoponto na Rua 14-JP, no Jardim das Palmeiras, está dividindo opiniões.

Luiz Felipe Weigand, que reside próximo, se queixa. “Antigamente, a prefeitura mandava máquinas para limpar o terreno. Hoje somos nós, moradores, que preservamos a área, plantamos árvores, fazemos hortas, e sempre cuidamos para que não se acumulasse lixo no local. Agora querem se apossar de algo que já estava abandonado há anos”, relata.

Outros vizinhos relatam que a área seria de preservação ambiental. Em contato com a Prefeitura de Rio Claro, foi informado à reportagem que a área a ser utilizada pela associação não é de proteção, conforme mapeamento da administração municipal e inspeção da Polícia Ambiental.

No Diário Oficial do Município veiculado na última semana foi publicado o Decreto 10.698, de 20 de dezembro, informando que a Associação “Novo Tempo” tem permissão para utilizar a área por três anos, renováveis por mais dois anos, conforme rege a Lei Orgânica do Município.

Oportunidade

Segundo Luci Bonatti, da Secretaria de Manutenção e Paisagismo, a instalação da entidade vai beneficiar grande parte do município, que terá mais uma cooperativa para a coleta de materiais recicláveis.

“A associação vai retirar os materiais de casa em casa, o catador será fidelizado pelos moradores, que saberão para onde tudo irá. É a oportunidade de geração de emprego e educação ambiental para a população”, explica.

“Eu não tenho emprego, tenho seis filhos e vou ter a oportunidade de trabalhar para pagar aluguel e sair do barraco onde moro. As pessoas que não apoiam estão contra o sonho de quem está em má situação. Quero fazer tudo honestamente”, diz Josilma de Jesus Costa, de 32 anos, que irá coordenar a associação dos catadores.

A associação deverá instalar oficinas de treinamento para os catadores no novo local. Num primeiro momento, mais de 40 pessoas cuidarão dos trabalhos.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: