Nível do Ribeirão Claro está baixo e Daae alerta e pede uso racional de água

859

A falta de chuvas nos últimos meses tem reduzido a vazão de rios em diversas cidades do estado de São Paulo. E em Rio Claro a situação não é diferente. A redução da vazão no Ribeirão Claro, está abaixo do normal e, diante da situação, o Daae pede para que a população faça o uso racional da água, priorizando alimentação e higiene pessoal.

A água bruta do Ribeirão Claro é captada pelo Daae para a Estação de Tratamento de Água (ETA 1), responsável pelo abastecimento de 40% da cidade.

“Bairros abastecidos pela ETA 1 devem fazer o uso consciente da água. Orientamos que os munícipes deem prioridade para alimentação e higiene pessoal”, comenta o superintendente do Daae, Paulo Roberto Bortolotti, ressaltando que as esporádicas chuvas no período não foram suficientes para regularizar a vazão do Ribeirão Claro.

Os bairros abastecidos pela ETA 1 são: Bela Vista, Cidade Nova, Vila Alemã, Santa Cruz, Santana, Centro, Cidade Jardim, Saúde, Copacabana, Bairro do Estádio, Cidade Claret, Vila do Rádio, Jd. Inocoop, Jd. Mirassol, Jd. Novo, Jd. Anhanguera, Jd. Kennedy, Jd. Donângela, Jd. Conduta, Jd. do Trevo, Jd. Nova Veneza, Vila Operária, Vila Paulista, Vila Santo Antonio, Vila Indaiá, Vila Aparecida, Vila do Horto, Consolação, Parque Flórida, São Benedito, Itapuã, bairro Olímpico e Porto Fino.

Já a ETA 2, que abastece 60% do município, tem a água captada no rio Corumbataí. Apesar do nível ainda estar dentro do esperado, a autarquia reforça que o uso racional da água deve se tornar um hábito, para evitar desperdícios.

“É imprescindível que todos colaborem, adotando hábitos de uso racional da água. As limpezas mais pesadas, lavagem de carros, calçadas e fachadas não devem ser feitas até que a situação se normalize”, ressalta o superintendente da autarquia rio-clarense.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: