Terreno de condomínio que cedeu durante a chuva

Lucas Calore

O Ministério Público (MP) de Rio Claro fez uma fiscalização no Conjunto Habitacional Jardim das Nações II, na região do Terra Nova, na manhã dessa quinta-feira (12), mesmo dia em que os problemas no empreendimento foram relatados pelo Jornal Cidade.

Na noite de quarta-feira (11), os danos no local tomaram proporções maiores. O terreno onde fica um bloco de apartamentos cedeu ainda mais com o temporal que atingiu o município.

Parque de recreação para crianças ficou alagado
Parque de recreação para crianças ficou alagado

Vistoria

O promotor de Justiça do MP, Gilberto Porto Camargo, esteve no conjunto para vistoriar os problemas.

“Fizemos um balanço do diagnóstico do problema, vamos aprofundar a investigação por meio de um inquérito civil. Vamos notificar a Prefeitura para que ela nos forneça uma cópia do processo administrativo para municiar o Ministério Público com informações técnicas mais precisas, e vamos chamar a construtora Direcional Engenharia para que se manifeste a respeito. Se houver consenso numa solução amigável, podemos fazer um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta). Caso ela não colabore, certamente ingressaremos com uma ação civil pública, procurando indenização e defesa dos moradores”, explica.

Em pesquisa no portal do Tribunal de Justiça de São Paulo é possível verificar que a Direcional Engenharia está envolvida em mais de 60 processos, como embargos, cumprimento de sentença, entre outros.

 Terreno de condomínio que cedeu durante a chuva
Terreno de condomínio que cedeu durante a chuva

Medo

Segundo moradores, um cenário de caos e horror tomou conta do lugar. Moradias do térreo ficaram completamente alagadas, móveis foram perdidos. Eletrodomésticos queimados e até mesmo choques elétricos foram registrados.

A equipe da Defesa Civil de Rio Claro deu apoio aos moradores logo após a ocasião de desmoronamento durante a noite da quarta-feira. Segundo o diretor Wagner Araújo, num primeiro momento, os moradores podem se tranquilizar e o risco de o prédio cair foi descartado. “Após a análise dos engenheiros podemos tranquilizar os moradores. As medidas de correção foram iniciadas. A Defesa Civil e outros órgãos estão monitorando tudo para objetivar o bem-estar das pessoas que aqui moram. Nossa primeira prioridade é a vida”, conclui.