Moradores do Vila Paulista são contra derrubada

72

Carine Corrêa

Morador lamenta interrupção bruta dos tratores na vida de árvores de grande porte
Morador lamenta interrupção bruta dos tratores na vida de árvores de grande porte

A derrubada de árvores em um terreno no bairro Vila Paulista está mobilizando a comunidade daquela região. Isso porque, toda a área verde situada na Avenida P-35 com a Rua P-3 vai dar lugar a um empreendimento.

José Antonio mora em frente ao terreno e diz ser contra a substituição da área por prédios. “Eles poderiam ter ao menos transplantado as árvores que derrubaram. Tinha um pé de jaca carregado que foi para o chão. Uma laranjeira também foi derrubada pelos tratores. Desse jeito Rio Claro vai virar uma cidade de pedra”, comentou.

Sérgio Aparecido Lahr levanta a questão burocrática envolvendo a retirada dos exemplares. “Se tiver dentro da lei, o que podemos fazer?”, questionou.

José relata que o trabalho de remoção das espécies inciou nessa segunda-feira (09). “Até mesmo os funcionários que operavam os maquinários estavam ‘sentidos’ em passar o trator por cima das árvores”, revela o morador.

Humberto Epiphanio é outro morador que defende a preservação das espécies naquele terreno. “Triste ver uma árvore que demorou dezenas de anos para crescer, ser derrubada em questão de minutos”. Ele diz isso em relação a árvore conhecida como Santa Bárbara, que, para ele, fazia a melhor sombra daquele quarteirão. “Estou chocado. Fora um bambuzal que tem no meio do terreno, que acredito que seja da mesma espécie encontrada no antigo Horto”, completa.

Epiphanio ainda conta que relatou essa situação para a filha que mora em outro País. Ela que enfrenta temperaturas em até -20ºC, lamentou ao pai a perda das árvores. “Essa Santa Bárbara, por exemplo, abrigava muitos passarinhos”, finalizou.

A Prefeitura de Rio Claro foi consultada sobre a existência de autorização para a retirada das árvores daquela área. Por meio da assessoria de imprensa, informou que na Secretaria de Planejamento, Desenvolvimento e Meio Ambiente (Sepladema) há registro de um pedido de autorização para corte de árvores na Estrada Rio Claro – Santa Gertrudes (SP-316), entre Avenidas P-33 e P-35, Vila Paulista. “A autorização foi concedida, mediante compensação ambiental. Portanto, se for no mesmo endereço, o corte está autorizado e haverá o plantio de mudas em outro local, pelo proprietário do imóvel, como medida compensatória”, diz o Poder Público. A administração municipal ainda afirma que é permitida a retirada de árvores nativas. “Para o corte de árvores nativas em terrenos particulares o proprietário deve solicitar autorização no Atende Fácil. O pedido é encaminhado à Sepladema para que seja feita análise técnica da árvore, a partir da qual é emitido laudo que indica se há ou não necessidade da remoção. Caso o corte da árvore seja autorizado, a responsabilidade pelo serviço é do proprietário do imóvel”, acrescentou.

Transporte

De acordo com Demóstenes Silva Filho, professor de silvicultura urbana da Esalq-USP, é possível transportar árvores. O sistema consiste no corte das raízes da planta, içando-a com um guindaste e levando a galhosa para sua casa nova. Esse processo pode ser feito com árvores pequenas e de grande porte.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: