Mãe entrega filho à Polícia Civil

117

Carine Corrêa

Corpo de Adilson Guimarães foi localizado, no último dia 11, em região de mata em Ipeúna
Corpo de Adilson Guimarães foi localizado, no último dia 11, em região de mata em Ipeúna

O delegado Luis Roberto Villela, que está conduzindo as investigações do latrocínio (roubo seguido de morte) que ocorreu em Ipeúna, informou que o último suspeito de ter praticado o crime foi preso nessa quarta-feira (16). “Ele voltou para casa dele e sua mãe ligou na delegacia, informando que ele queria se entregar”, detalha o delegado. Com isso, os três suspeitos de terem praticado o crime estão presos. “Foi decretada a prisão temporária do trio por trinta dias. O inquérito policial está em fase de conclusão. Na próxima semana, faremos a reconstituição do crime”, frisa Vilella. “Todos foram identificados e acabaram presos”, reforçou.

O terceiro suspeito que foi preso, assim como os demais, confessou o crime. Ele disse que atraiu Adilson Miranda Guimarães para o seu barraco, na Rua Joaquim Gomes Ferreira, ao lado da Creche Maria Luiza Zanone Prata. “Todos afirmam que mataram Adilson por conta de uma dívida de R$ 100”, diz o delegado Luis Roberto Villela.

>>> Homem desaparecido foi vítima de latrocínio em Ipeúna

Família – Na última terça-feira (15), a reportagem do JC fez contato com a família de Adilson. Sua irmã, Joseane Afonso de Souza, disse que a família almejava a prisão da terceira pessoa, que até então estava foragida. “Não é fácil digerir o que aconteceu. O que fizeram com ele foi muita crueldade”, disse Joseane.

O crime – Na madrugada do dia 1º de setembro, Adilson Miranda Guimarães, de 37 anos, foi vítima de latrocínio em Ipeúna. O crime aconteceu em um barraco localizado na Rua Joaquim Gomes Ferreira. O corpo de Adilson Miranda foi transportado até uma mata em uma carriola. Os suspeitos de cometer o crime e que estão presos têm 19 anos, 21 e 30 anos.

Dados estatísticos – Os dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP) que mostram os índices criminais dos municípios paulistas não contabilizam latrocínio em Ipeúna desde o ano de 2013. O portal disponibiliza os índices criminais das cidades do Estado a partir deste ano.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: