Liquidações de janeiro levam multidão às lojas

61

Ednéia Silva

Os produtos comprados nas liquidações têm que ser levados pelos próprios consumidores: as lojas não fazem as entregas
Os produtos comprados nas liquidações têm que ser levados pelos próprios consumidores: as lojas não fazem as entregas

Muita correria para conseguir o produto desejado. Foi assim a sexta-feira (9) de muitos consumidores que utilizaram o dia para aproveitar as liquidações com ofertas de até 70% nos preços dos produtos. O vai e vem de sacolas e caixas foi grande, já que as compras teriam que ser levadas pelos próprios compradores.

“Comprei um jogo de panelas e um liquidificador”, disse a dona de casa Sueli de Almeida ao sair da loja com as sacolas na mão. Segundo ela, o preço estava mais em conta. “Estava mais barato, pena que não conseguir comprar a TV, porque já tinha acabado”, lamentou.

Fernando Rodrigues trouxe a esposa e o filho para ajudar a carregar as compras. Ele saiu da loja com uma TV e alguns eletrodomésticos. Para ele, a correria valeu a pena. “Consegui um bom desconto. Acho que economizei uns R$ 500,00. No ano que vem venho de novo”, disse, sorridente.

Comprar na liquidação de janeiro já se tornou tradição para Edna de Souza. Este foi o quarto ano seguido que ela aproveita as promoções do início de ano. “É muita loucura comprar no Natal, os preços são mais caros. Em janeiro, os descontos são grandes e os preços caem bastante”, conta. Para aproveitar as ofertas, ela faz um planejamento rigoroso ao longo do ano. “Todo mês economizo um pouquinho para comprar tudo à vista”, ensina.

Tem gente que precisou pagar frete, pedir carona a um amigo ou trazer o próprio veículo com ou sem carroceria para levar as compras, principalmente de itens maiores, como geladeiras, colchões, fogões e máquinas de lavar.

Mas não são somente as lojas de móveis e eletrodomésticos que estão fazendo liquidação. Os estabelecimentos que vendem confecção, calçados, cama, mesa e banho também entraram no embalo e fazem promoções diversas para atrair os consumidores.

A ideia é incrementar as vendas de Natal, que foram as mais fracas dos últimos cinco anos, segundo levantamento feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). A queda nas vendas também foi constatada pela Serasa Experian. Segundo a entidade, as vendas de Natal caíram 1,7% no país.

Mas é preciso cuidado na hora de aproveitar as liquidações, para não ficar endividado. O alerta foi feito pelo superintendente do SerasaConsumidor, Júlio Leandro. De acordo com ele, as ofertas podem ser tentadoras, mas compras por impulso podem descontrolar o orçamento doméstico e levar o consumidor ao superendividamento.

“O cidadão precisa lembrar que acabou de passar pelas festas de fim do ano, época em que os gastos são maiores. Muita gente ainda vai pagar a fatura do cartão de crédito das compras de dezembro. Além disso, os primeiros meses concentram mais pagamentos, como IPTU, IPVA, matrícula e material escolar”, diz. Para ele, antes de se deixar seduzir pelas ofertas, o cidadão deve priorizar o pagamento das dívidas assumidas no ano passado e saber se há folga no orçamento para fazer novas compras.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: