Lucas Calore


O Jornal Cidade de Rio Claro tem recebido relatos de leitores que enfrentaram o câncer de forma muito corajosa. Hoje, essas pessoas podem se considerar vitoriosas por terem vencido a doença. Uma delas é a empresária e maquiadora Lica Janei, que na realidade é duplamente vencedora.

Seu caso teve início quando havia completado 18 anos. Durante uma viagem para a praia, sua perna esquerda inchou repentinamente. No momento, porém, sua família e ela imaginaram que poderia ser por conta do sol ou até algum bicho que havia picado.

Ao voltarem para Rio Claro, após uma primeira consulta em um médico, que diagnosticou ser suspeita de trombose, por causa do inchaço, decidiram internar Lica. “Durante todo o período de internação, fiz muitos exames, e um deles foi uma ressonância magnética, que detectou algo. Fiz, então, uma biopsia do local e descobriram que eu tinha um linfoma, basicamente o mesmo que na época havia matado o cantor sertanejo Leandro (irmão de Leonardo) naquela época”, detalha.

“Foi um choque para minha família e mesmo para uma jovem de 18 anos. Eu decidi que a única chance era me apegar muito em Deus, por que não era religião e nem médicos que iriam me tirar daquela situação, ainda mais depois de ouvir deles que eu teria apenas 10% de chance de sobreviver”, relata.

Todo o seu tratamento foi realizado no Hospital Amaral Carvalho, em Jaú. Assim como acontece comumente, as sessões de quimioterapia fizeram cair todo o seu cabelo. As sessões de radioterapia atrofiaram os ovários da paciente. “Ouvi dos médicos que jamais poderia ter filhos”, conta.

Por “um milagre”, segundo Lica, os médicos perceberam que ela estava reagindo bem por conta dos seus exames. Decidiram, assim, diminuir a quantidade de quimioterapia. Mesmo após um ano e meio de tratamento, ela voltava para o hospital apenas para exames de rotina.

O tempo passou. Há praticamente um ano atrás, já aos 31 anos, Lica procurou um ginecologista, achando que aquele câncer poderia ter voltado após sentir algumas dores. “Deus me surpreendeu novamente. Nessa consulta, o que parecia ser um martírio, virou uma surpresa divina. Ele disse que eu estava grávida!”, declara. “Alícia está ai com 10 meses, prova viva de um completo milagre”. Lica, ainda, levou a sua filha até Jaú recentemente e a mostrou para os médicos que um dia disseram que ela não poderia engravidar.

“Nesse mesmo dia recebi outra noticia deles: que a partir daquele dia estava de ‘alta’ daquele lugar e nunca mais voltarei lá”, diz. “A Alícia é minha benção, uma criança saudável e feliz, prova que a última palavra é de Deus”, finaliza.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Notícias:

Saiba como denunciar assédio sexual sofrido no trabalho

Rio Claro vacina contra a Covid a partir das 7h30