Legislativo realiza programação intensa dedicada às mulheres

93

Divulgação

Um dos temas do debate será sobre a implantação da nova Delegacia da Mulher na Av. 23
Um dos temas do debate será sobre a implantação da nova Delegacia da Mulher na Av. 23

A programação da Semana da Mulher 2015 de Rio Claro tem início nesta segunda-feira, 2, com debate que tratará do assunto: “Direitos das Mulheres e Enfrentamento à Violência. A atividade acontecerá no Cras Independência, às 13h30. Este ano a coordenação é da vereadora Raquel Picelli.

A Semana da Mulher teve início em Rio Claro na década de 90 via decreto legislativo assinado pela ex-vereadora e hoje vice-prefeita Olga Salomão. Depois de um período sem atividades, em 2007 os trabalhos foram retomados por Raquel Picelli.

Ao analisar a ampla programação – 30 dias ao todo –, a parlamentar observa que na década de 90 a atividade era muito restrita, com participação de grupos fechados.

“Hoje, a situação é bem diferente. Hoje, a participação é eclética. Temos as participações e o apoio de movimentos ligados à mulher negra, igreja evangélica, grupos que atuam na reciclagem de materiais, ou seja, é muito mais abrangente.”

Para fortalecer os debates e a busca por soluções, em 2009 Raquel idealizou a Carta das Mulheres, documento oficial que contém as ações que precisam ser implantadas na cidade para garantir os direitos da categoria e também a atualização anual das conquistas.

“Licença-maternidade de 180 dias para as servidoras municipais, implantação do Centro de Referência e Atendimento à Mulher, a criação da Assessoria Municipal da Mulher estão entre as conquistas oriundas da Carta da Mulher. Não podemos esquecer que está em andamento um local exclusivo para a Delegacia da Mulher”, enfatiza Raquel Picelli.

Para a vereadora Maria do Carmo Guilherme, é fundamental a participação da sociedade civil nas atividades para fortalecer o movimento das mulheres. “Tivemos grandes avanços com a administração atual, mas sabemos que existem questões que envolvem o cenário estadual e federal.”

1 COMENTÁRIO

Qual sua opinião? Deixe um comentário: