JC nos Jogos Olímpicos 2016

122

Adriel Arvolea

Leonardo Macedo, treinador da Academia MM Boxe, comenta sobre a realidade do esporte no Brasil e as chances de medalha que atletas da Confederação Brasileira podem conquistar na disputa olímpica
Leonardo Macedo, treinador da Academia MM Boxe, comenta sobre a realidade do esporte no Brasil e as chances de medalha que atletas da Confederação Brasileira podem conquistar na disputa olímpica

Na próxima sexta-feira (5), têm início os Jogos Olímpicos Rio-2016. Em 19 dias de competição, serão realizadas 306 provas. Você vai vibrar e se emocionar com a disputa de 42 modalidades.

Junto à emoção do evento, que acontece pela primeira vez no Brasil, o Jornal Cidade acompanhará as competições diariamente, trazendo informações atualizadas e histórias junto aos atletas e o público de Rio Claro que torcerão diretamente do Rio de Janeiro.

Abrindo os trabalhos, o campeão da Forja (2007) e terceiro lugar nos Jogos Abertos (2007) e Luvas de Ouro (2008), o técnico da equipe de Boxe de Rio Claro, Leonardo Macedo, se diz confiante com a realização das Olimpíadas no país e com os atletas da Confederação que irão competir neste ano.

“Em 2012, o nível dos atletas do time de boxe brasileiro era melhor. Neste ano, a equipe olímpica é boa, com chances de conquistarmos três ou quatro medalhas com Robson Conceição, Robenilson de Jesus e Juan Nogueira”, acredita.

Conforme avalia, o esporte no Brasil evoluiu nos últimos anos, principalmente em termos de incentivo. “Ainda há dificuldades, mas o Bolsa Atleta, por exemplo, foi um divisor de águas para o boxe, com mais oportunidades para os atletas. Houve avanços e salto de qualidade. Há 20 anos, atletas olímpicos dormiam debaixo de arquibancada”, destaca.

O treinador, junto ao irmão Breno, está à frente da Academia MM Boxe, fundada há 13 anos por seu pai, Marcos Macedo. Com trabalho de base desenvolvido na cidade, com foco em competição e a vivência no esporte, o projeto prepara e já revelou inúmeros talentos. “Kauê Belini foi campeão brasileiro 2016, na categoria cadete, recentemente, e daqui a oito anos tem plenas condições de participar de uma olimpíada. Jhonatan Conceição, outro atleta que começou conosco, é reserva do titular do meio-médio ligeiro Joedison Teixeira, o Chocolate, que conseguiu uma vaga nos Jogos Olímpicos”, conclui. Na luta, MM Boxe segue forte no esporte.

Talentos

Outra atleta revelação da MM Boxe é Jucielen Cerqueira, 21 anos, da categoria 51 kg. Ela era reserva da titular Graziele de Jesus, que não conseguiu vaga nos Jogos Olímpicos 2016. No ano passado, Jucielen foi convocada para a seleção brasileira.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: