Falta cerca de um ano para a próxima eleição municipal. Diante disso, o Grupo JC de Comunicação em parceria com a Interativa Pesquisas, um dos mais renomados institutos voltados para o mercado de pesquisas do Brasil, trazem na edição deste domingo (28) a primeira pesquisa eleitoral de 2019 com nomes postulantes ao cargo de prefeito(a) de Rio Claro na eleição de 2020.

Política

Os partidos e seus diretórios já iniciaram as tratativas para articular seus grupos para serem competitivos no pleito. Sabe-se que a legislação permitirá coligações para chapas majoritárias, no caso, para o Poder Executivo.

Alguns dos nomes pesquisados atuam hoje na Prefeitura e na Câmara Municipal, além de outros que se destacam na política local.

Metodologia

A metodologia utilizada pela empresa dispõe de 400 entrevistas presenciais e domiciliares distribuídas por toda a cidade, em diferentes regiões e bairros. São levados em consideração também os diferenciais de gênero, idade, estudo.

“A amostra deve ter essa representatividade do município. Tem que representar a população. A margem de erro é de 5% para mais ou para menos, com intervalo de confiança de 95%”, explica Alejandro Gonzalez, diretor da empresa com mais de 15 anos de experiência no ramo.

Interativa Pesquisas

Por meio de estudos customizados, qualitativos e quantitativos, além de relatórios detalhados, a Interativa abrange vários segmentos do mercado, com foco nas áreas de inovação, comportamento, percepção e tendência.

A empresa desenvolveu inúmeros projetos em mais de 190 cidades. Dentre grandes clientes estão Sony, Unilever, Deell e Unimed. “Nosso forte é pesquisa presencial, com os entrevistados visitando domicílios. Na área de mercado temos muitos trabalhos voltados para imobiliárias, varejos, supermercados, entre os mais diversos assuntos”, destaca Gonzalez.

O know-how da Interativa é no campo político, em que apresentou pesquisas em vários estados brasileiros das regiões Sul, Sudeste e Nordeste. “Uma delas em Guarulhos, a segunda maior cidade de São Paulo, com acerto de menos de 1% da diferença do resultado da urna com a pesquisa”, recorda.