Impasse pode atrasar obras na SP-316

90

Lucas Calore

A população que mora próxima à Rodovia Constante Peruche (SP-316) espera com ansiedade pela conclusão das obras de duplicação da via que liga Rio Claro ao município de Santa Gertrudes, num trecho inferior a cinco quilômetros, que também receberá uma ciclovia.

O projeto prevê a restauração da pista, recapeamento e pavimentação dos acostamentos do km 157 ao km 176,58, com extensão de 19,58 quilômetros de melhorias, entre Cordeirópolis, Santa Gertrudes e Rio Claro, com investimento de R$ 52,6 milhões.

O tráfego de veículos leves e pesados pela Rodovia Constante Peruche deve melhorar após a duplicação dessa via
O tráfego de veículos leves e pesados pela Rodovia Constante Peruche deve melhorar após a duplicação dessa via

Obras

Os serviços concentrados no trecho entre os bairros Vila Paulista e Jardim Conduta, em Rio Claro, estão com 35% de execução, com previsão de conclusão para dezembro de 2016, de acordo com o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), da Secretaria Estadual de Logística e Transportes.

A reportagem do JC esteve no local das obras durante a semana e falou com moradores daquela região. Um deles alertou que funcionários da obra “sumiram” nos últimos dias e os trabalhos foram aparentemente paralisados. O cidadão disse que conseguiu falar com um operário dias atrás, que afirmou a ele que houve um problema judicial entre a empresa responsável pela ferrovia e a Conter Construções, que venceu a licitação para as obras de recuperação, melhorias e duplicação da rodovia.

Impasse

O DER emitiu nota ao Jornal Cidade em que confirma haver questionamento da ALL em relação a uma área da SP- 316 onde a empresa Conter executa as obras, porém no trecho que engloba as cidades de Santa Gertrudes e Cordeirópolis.

O JC entrou em contato com a ALL, que esclareceu que durante inspeção de rotina verificou a realização de obras em faixa de domínio da ferrovia sem sua prévia autorização, assim como da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

“A Companhia ressalta que em razão de sua obrigação legal e contratual tomou as medidas judiciais cabíveis para garantir a segurança da operação e das pessoas”, diz a nota enviada.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: