Mulher toma a vacina contra a gripe na campanha antecipada na capital e na Grande São Paulo (foto: A2img / Eduardo Saraiva)

Ednéia Silva

O governo estadual começou nessa segunda-feira (11) mais uma etapa da campanha de vacinação contra a gripe H1N1 na capital e na Grande São Paulo. A campanha foi antecipada em algumas regiões devido a surtos da doença. Nessa fase, serão vacinados os idosos, crianças com mais de seis meses e menores de cinco anos e gestantes. Doentes crônicos e puérperas vão receber a vacina a partir do dia 18. Nos demais municípios paulistas, incluindo Rio Claro, a vacinação terá início no próximo dia 30.

A vacina gratuita somente é destinada a quem faz parte dos grupos de risco: crianças, idosos, gestantes, puérperas, doentes crônicos, indígenas, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medida socioeducativa, presos e funcionários dos sistema prisional. As crianças que receberem a vacina pela primeira vez devem tomar duas doses com intervalo de 30 dias entre elas.

No sábado (30) acontece o Dia D da campanha. Nesse dia, as unidades de saúde vão funcionar das 8 às 17 horas. Durante a semana, a vacina será aplicada das 7h30 às 15h30. A Vigilância Epidemiológica informa que, além dos postos de saúde, haverá vacinação também na Farmácia Popular que fica na Avenida 2, número 238, entre as ruas 3 e 4, Centro; e no Cead (Centro de Especialidades e Apoio Diagnóstico) localizado na Avenida 24, número 1.040, entre as ruas 8 e 9, no bairro Santana. A vacina protege contra os tipos A (H1N1 e H3N2) e B da gripe.

Mulher toma a vacina contra a gripe na campanha antecipada na capital e na Grande São Paulo (foto: A2img / Eduardo Saraiva)
Mulher toma a vacina contra a gripe na campanha antecipada na capital e na Grande São Paulo (foto: A2img / Eduardo Saraiva)

OUTROS GRUPOS

Quem não faz parte dos grupos de risco que têm direito à vacina gratuita deve procurar as clínicas particulares para ser imunizado contra a gripe H1N1. O medo da doença tem causado filas nesses estabelecimentos de pessoas em busca do medicamento.

A médica infectologista Suzi Berbert comenta que vê com surpresa a forma como as pessoas estão procurando as clínicas em busca da vacina contra a gripe, numa atitude de quase desespero. Segundo ela, não há motivo para tanta apreensão, pois logo a vacina estará disponível na rede pública de saúde para as pessoas que têm maior risco de contrair a doença.

“Entendo que as pessoas estão preocupadas, pois houve um aumento expressivo no número de casos de H1N1 no Estado de São Paulo, com mortes, mas a grande maioria dos casos tem evolução favorável, além do que o SUS também oferece a medicação para tratamento da gripe (Tamiflu) para os casos mais intensos”, explica.

>>> VÍDEO: Médica esclarece dúvidas sobre a Gripe A – H1N1