Futuro incerto na política de Analândia

164

Vivian Guilherme

As eleições em Analândia têm futuro incerto neste ano. Isso porque duas decisões judiciais podem alterar completamente o rumo dos principais candidatos à prefeitura. No último dia 4 de fevereiro, o juiz Felippe Rosa Pereira, do Foro Distrital de Itirapina, incluiu o nome do ex-prefeito José Roberto Perin (DEM) no Cadastro Nacional de Condenações Cíveis por Ato de Improbidade Administrativa e Inelegibilidade do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Decisões judiciais podem mudar o rumo das eleições na Estância Climática de Analândia este ano
O atual prefeito Rogério Ulson e o ex-prefeito Beto Perin (foto: rede social)

O magistrado também oficiou ao Juízo da 245ª Zona Eleitoral, com sede em Rio Claro/SP, comunicando a suspensão dos direitos políticos de Perin, o que impede qualquer tentativa de registro de sua candidatura. Por enquanto, ele pode ficar de fora das eleições municipais de 2016 e 2020.

O atual prefeito Rogério Ulson (PSDB) também pode não disputar as eleições. Neste caso, tramita uma ação de improbidade administrativa pelo provimento em comissão de dois cargos sem os contornos nítidos de direção, chefia e assessoramento, conforme determina a lei.

Vale lembrar que, no caso de Perin e de Ulson, ainda cabe recurso. Caso ambos não possam concorrer, é possível haver surpresas na política analandense.

CENÁRIO ESTADUAL

Segundo levantamento realizado pelo jornal O Estado de S. Paulo, de cada dez municípios paulistas, quatro tiveram seus prefeitos condenados por improbidade em apenas um ano, entre novembro de 2014 e outubro de 2015.

Na maior parte desses casos, o motivo é a Lei 8.429/92 – Lei de Improbidade Administrativa, que contempla a condenação por contratações de serviços e obras sem processos de concorrência, fraudes a licitações, dispensa de concurso público, uso indevido de verbas, entre outros.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: