Há três anos a Funerária Municipal de Rio Claro saía de um imóvel na Rua 5 para se mudar para o prédio do velório com o propósito de concentrar os serviços em um Núcleo Funerário. Desde então o atendimento é prestado em conjunto no local.

Esta semana chegou ao conhecimento do JC que um imóvel foi locado na Rua 7 com a Avenida 11 para que a Funerária passasse a atender no local, saindo assim do velório. A reportagem entrou em contato com o secretário de Administração Rogério Marchetti que confirmou os fatos: “Vistoriamos cerca de 10 locais e este foi o mais adequado”, disse.

Questionado a respeito do aumento de custos (atualmente a funerária está no velório e não existe despesa com aluguel) e a motivação da decisão, o secretário destacou dois tópicos: “Não temos no velório as adequações necessárias para prestar um serviço de excelência e as outras funerárias também nos procuraram afirmando ser uma concorrência desleal a municipal já estar no velório”.

A reportagem então indagou do secretário, que em audiência pública para a Câmara afirmou que pretendia reduzir os aluguéis de imóveis pela prefeitura. Sendo assim e com a funerária instalada e sem pagar aluguel, por que abrir uma exceção neste caso? Rogério explicou: “Nosso objetivo é economizar, mas neste caso têm os prós e os contras. Não é porque a funerária municipal atende famílias de baixa renda que não temos que buscar melhorar”.

Por fim, perguntado por que o dinheiro a ser gasto com o aluguel e outras despesas que irão aumentar com a mudança não poderia ser investido no atual lugar, o secretário foi direto: “Ali é um puxadinho, não tem como organizar. A mudança, a nosso ver, será para melhor”.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.