VÍDEO E FOTOS: UVA tira da terra o milagre do samba

159

Adriel Arvolea

Com apenas dois meses de preparação para o Carnaval 2016, a Unidos da Vila Alemã (UVA) se superou. Em meio a problemas e falta de sede, havia desistido de desfilar, mas decidiu levar adiante o sonho da sua comunidade: apresentar um desfile bonito ao folião.

Resultado: ficou em terceiro lugar, com apenas 0,1 décimo de diferença da segunda coloca A Casamba. A escola conquistou 178,9 pontos dos jurados. Um grande feito para a verde e branca, que cantou “Tirar da Terra o Milagre do Samba”.

O tema-enredo foi alusivo às riquezas que se plantam e extraem do solo; um retrospecto da agricultura desde os tempos dos homens das cavernas. Plantações que alimentam, vestem e transformam a vida do homem.

DESFILE – Clique nas fotos para ampliar – Fotos: Ezequiel Moura/Studio Diga Xis

Na cheia do Nilo, o milagre do trigo. Na China, o café fez transformações. Passando pela Índia, especiarias e grãos. Cenário de riquezas e grandes navegações. Foi com essa fartura que a UVA levantou o público na Passarela do Samba. A semente descoberta no princípio, que é a do samba, foi colhida pela escola. Uma nova era, então, germinou.

Para a presidente Kaira Guastalli, o resultado foi melhor do que o esperado. “Superamos as nossas expectativas. Isso é fruto do trabalho da nossa comunidade, que se dedicou e acreditou na proposta da escola”, avalia Kaira.

Trabalho

Há nove anos na escola, Kaira conta que foi eleita para presidir a UVA nos anos de 2016 e 2017, pois a diretoria acredita em seu potencial e no preparo que a jovem demonstra ter. E tem! Desde o dia em que pegou a chave do barracão da escola até os dias que antecederam o carnaval, ela não parou.

Já foi destaque de chão, madrinha de bateria e depois passou a fazer parte da harmonia da escola. Como presidente, pegou no pesado, cuidando da parte administrativa e das fantasias, confeccionando-as. “Tenho muita ajuda para cuidar dos assuntos que envolvem a presidência. Na reta final, fiquei no barracão até 12 horas por dia”, conta a jovem.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: