VÍDEO E FOTOS: A Casamba brilha forte no coração

132

Adriel Arvolea

‘Ah, como é bom acordar com o brilho do sol forte dentro do meu coração. Ah, sou tradição na poesia do cantor, sou luz da vida, a mais querida do compositor’ (…). Foi com esses versos que a A Casamba contagiou o público na Capital da Alegria, fechando os desfiles da noite de domingo (7).

Presidida por José Mário Arena, a amarela e branca celebrou, em 2016, as quatro décadas de alegria e presença marcante no Carnaval rio-clarense. Num enredo abstrato e de pura nostalgia, a comunidade cantou “O brilho do meu sol irradia nossa história e, no conto dos 40, hoje canto nossas glórias”. Emoção não faltou ao desfile.

A comissão de frente, por exemplo, fez uma exaltação à vida, ao nascer do sol e à gestação. Bailarinas, com seus passos cadenciados, simularam uma gravidez e o nascimento. Outros dançarinos reforçaram esse espetáculo de boas-vindas ao público e aos jurados, garantindo duas notas 10. Quem viu, aplaudiu de pé. Alegorias gigantes e com efeitos foram um show à parte.

DESFILE – Clique nas fotos para ampliar – Fotos: Ezequiel Moura/Studio Diga Xis

Num primeiro momento, o desfile fez uma viagem pelo número 40, reunindo acontecimentos e fatos em sua representação mística e histórica. Além do tempo de gestação, Quaresma e dilúvio, a agremiação levou para a Passarela do Samba as cartas do jogo de baralho, a fábula de Ali Babá e os 40 ladrões, e outras surpresas para o folião.

Na evolução do enredo, mostrou, ainda, o que acontecia há 40 anos no mundo, seja na música, televisão, cinema e novelas. O Grand Finale ficou por conta da comemoração dos 40 anos da escola, inclusive o tempo que levou para chegar à sede própria, à Terra prometida.

Penalidades

A escola perdeu dois décimos na pontuação por infringir o regulamento, pois levou uma alegoria na concentração fora do horário definido, o que é proibido conforme o artigo 17, parágrafo 1º. Não houve apresentação de recurso. A agremiação ficou em segundo lugar no Carnaval 2016, com 179 pontos.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: