Da Redação

Em geral, a sorologia de dengue deve ser feita a partir do sexto dia dos primeiros sintomas
Em geral, a sorologia de dengue deve ser feita a partir do sexto dia dos primeiros sintomas

Muita gente tem procurado as unidades de saúde das redes pública e privada com suspeita de dengue. O problema é que há dúvidas quanto ao tempo de espera necessário para fazer a sorologia a partir dos primeiros sintomas da doença. Quantos dias é preciso esperar?

Para responder a essa pergunta, a reportagem procurou a Vigilância Epidemiológica (VE). De acordo com a VE, em geral, a sorologia de dengue fica positiva a partir do sexto dia do início dos sintomas. “Deve-se considerar o sintoma de febre para iniciar esta contagem, uma vez que este sintoma faz parte do critério de definição de caso suspeito de dengue. Pode ser colhido até 60 dias do início dos sintomas. Portanto, a sorologia não é um procedimento considerado urgente”, explica. Conforme a vigilância, em situação epidemiológica, como ocorre em Rio Claro, a sorologia pode até ser dispensada. A dispensa fica a critério do médico. A VE destaca ainda que existem outros exames disponíveis no mercado que podem fazer o diagnóstico de dengue. Um deles é o teste rápido que, em geral, deve ser feito a partir do quarto dia de sintoma até o 15º dia.

“O mais importante é ressaltar que nenhum destes prazos deve ser aguardado para que se inicie o tratamento da dengue. A partir da suspeita, deve ser recomendada a hidratação precoce para que não ocorra agravamento. Além disso, o paciente deve receber orientação quanto aos sinais de alarme para retorno imediato há um serviço de saúde”, esclarece a VE.

A reportagem também questionou se a rede privada de saúde e consultórios médicos vêm comunicando a VE sobre os casos de dengue atendidos em suas unidades. Sobre isso, a Vigilância Epidemiológica respondeu que as recomendações do manejo clínico da dengue estão descritas nos protocolos do Ministério da Saúde e são amplamente divulgados a todos os serviços públicos e privados por sua equipe.

“Qualquer conduta médica adotada fora do protocolo recomendado é de responsabilidade do médico que prestou atendimento/assistência ao paciente com suspeita de dengue”, afirma a VE, ressaltando que a dengue é uma doença de notificação compulsória. “Isso significa que é dever de todos os profissionais e serviços de saúde notificar casos suspeitos de dengue”, conclui.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

Rio Claro registra 378 novos casos de Covid

Barulho “inferniza” moradores de vários bairros de RC