Ednéia Silva

Estelionatários vêm aplicando um novo golpe na praça envolvendo cartórios de protesto. Moradores de Rio Claro estão recebendo telefonemas de pessoas que se passam por funcionários de cartório para extorquir dinheiro. O golpe também foi registrado em Piracicaba e outros municípios.

O golpe funciona da seguinte forma: por telefone os bandidos informam que o consumidor tem um título prestes a ser protestado. Para evitar o protesto, a pessoa deve fazer o pagamento do título por meio de depósito em conta corrente. Assim que o depósito é feito, os estelionatários desaparecem com o dinheiro.

O Cartório Distribuidor de Protesto de Rio Claro confirma a ocorrência. O órgão tem recebido ligações da população que quer confirmar a veracidade dos fatos. A orientação do cartório é para que as pessoas não façam o depósito. O Cartório Distribuidor de Protesto alerta ainda para um segundo tipo de golpe que vem ocorrendo. Bandidos publicam anúncios prometendo limpar o nome de consumidores inadimplentes mediante pagamento prévio. Antes de fazer qualquer pagamento, a pessoa deve se informar junto aos órgãos competentes.

O Cartório de Protesto de Piracicaba colocou um comunicado em sua página na internet para alertar os consumidores sobre o golpe. “Se receber um telefonema informando ter um título a ser protestado em seu nome ou em nome de sua empresa, geralmente de empresa de publicidade ou de listas telefônicas, e lhe ser oferecida a possibilidade de efetuar o pagamento do título por depósito em conta, não o faça, é golpe de estelionatários”, diz o texto.

O comunicado também alerta sobre a aplicação do golpe do protesto pela internet. Segundo o cartório, as pessoas recebem e-mails de golpistas que se identificam como tabeliães de protesto, ou enviado em nome do Serviço Central de Protesto de Títulos (SCPT), da Anoreg-BR – Cartório 24 Horas e até mesmo da Corregedoria Geral da Justiça.

Os e-mails informam sobre supostos débitos existentes no cartório e induzem os destinatários a clicarem “Detalhes Processados do seu Débito” ou “Click em Download”, para concretizar o golpe. A recomendação é que as mensagens sejam deletadas.

Esse tipo de golpe foi registrado também em Campinas. O Cartório de Protesto da cidade colocou alerta em sua página na internet ressaltando que “as intimações de protesto são enviadas por via postal ou, excepcionalmente, por meio de edital. Desconfie de ligações telefônicas e e-mails”. Além disso, o pagamento de títulos é feito por boleto bancário ou no cartório, nunca via depósito.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Segurança:

Professora é assaltada em Rio Claro por ex-aluno