Datas festivas podem ampliar abandono de animais

91

Fabíola Cunha

Pequenos e graciosos quando filhotes, muitos cães são abandonados quando crescem e passam a exigir mais dedicação
Pequenos e graciosos quando filhotes, muitos cães são abandonados quando crescem e passam a exigir mais dedicação

A criança recebe a embalagem de presente e a abre, dentro da caixinha, não um objeto para brincar ou vestir, mas um ser vivo. Cães, gatos, porquinhos-da-Índia e outros pequenos animais são dados de presente em datas como o Dia das Crianças, que neste ano cai no domingo.

Ao que muitas pessoas que presenteiam não parecem atentar é que a adorável bolinha de pelos que é o filhote da raça labrador, por exemplo, cresce e pode atingir facilmente 40 kg nos primeiros anos de vida, consumindo grandes quantidades de ração e, é claro, produzindo outro tanto de fezes. E tudo isso por cerca de 15 anos, expectativa média de vida do animal. E aí o número de animais abandonados aumenta quando as famílias se recusam a cuidar e criar esses animais.

“Quando trazemos um animal para casa, a criança não pode cuidar dele sozinha, então somos o espelho de nossos filhos em todos os aspectos, os animais têm que ter qualidade de vida. Deve ser respeitado quando bebê, adolescente, na idade adulta e principalmente na velhice”, avalia Márcia Ferrari, protetora independente e idealizadora do Apoio Independente à Causa Animal (Aica) em Rio Claro. Os cuidados e gastos do ‘presente’ acabam sobrando para os pais e podem chegar à casa das centenas de reais mensalmente.

Ter um animal em casa pode ser uma ótima oportunidade para ensinar noções de solidariedade, carinho, cuidado e convivência para as crianças, segundo Márcia: “Seria ideal e maravilhoso uma criança nascer num lar quando seus pais já têm animais e desde cedo ensinam a seus filhos a amar, cuidar e respeitar”, diz

Márcia ainda enfatiza que, se há a vontade de ter um cão ou gato em casa, que seja adotado, não comprado: “Sou totalmente contra a compra de animais, o número de animais abandonados à procura de um lar é realmente alarmante. Acredito também que é só começarmos a visitar um abrigo, que vamos entender que adotar é tudo de bom”, diz.

Pesquisa do Ibope Inteligência mostra que em 2013 o gasto por habitante com animais de estimação no país foi de R$ 40,43, 12% a mais do que em 2012. No total, os brasileiros gastaram R$ 6,21 bilhões ano passado. No Facebook a página da Aica disponibiliza informações para quem quiser adotar um gato ou cão abrigados por cuidadores voluntários.

1 COMENTÁRIO

Qual sua opinião? Deixe um comentário: