Curso de medicina gera expectativa de melhorias

95

Ednéia Silva

O prefeito Du Altimari ao lado do ministro da Saúde, Arthur Chioro (gravata vermelha ao centro), em Brasília
O prefeito Du Altimari ao lado do ministro da Saúde, Arthur Chioro (gravata vermelha ao centro), em Brasília

A autorização para a criação do curso de medicina em Rio Claro tem obtido repercussão positiva entre pessoas e profissionais ligados à área da saúde. A expectativa é de que a graduação melhore as condições do sistema de saúde pública do município.

A presidente do Conselho Municipal de Saúde, Rosane Victória da Silva, acredita nessa possibilidade. Segundo ela, a instalação do curso na cidade vai trazer benefícios para a saúde, porque haverá residentes que podem optar por ficar morando no município. Rosane afirma que o convênio foi uma conquista para o município. Ela comenta que a melhoria não irá ocorrer do dia para a noite, será a médio e longo prazo, mas irá beneficiar não só a saúde, como toda a cidade.

O padre Cândido Aparecido Mariano, coordenador regional dos Padres da Região de Rio Claro, disse ter esperanças de que o anúncio se concretize e que a notícia seja boa para a cidade. Segundo ele, é preciso somar esforços para amenizar o sofrimento da população.

No entanto, ele observa que em época de campanhas eleitorais muitas promessas são feitas, depois os políticos desaparecem e ficam anos sem fazer nada. Ele espera que isso não aconteça e mais, que seja construído um hospital universitário. No entanto, o padre destaca que a concretização desse projeto não põe fim à luta iniciada para a construção de um hospital público para os pobres.

O provedor da Santa Casa de Misericórdia de Rio Claro, José Carlos Cardoso, avalia que ainda é muito cedo para tecer conjecturas. De acordo com ele, “é prematuro opinar sobre o assunto, já que não temos elementos concretos e nenhuma faculdade foi escolhida oficialmente. Então a provedoria não tem como saber como isso funcionaria, nem quais seriam as implicações de um curso de medicina funcionando na Santa Casa”.

O prefeito Du Altimari observa que a região de Rio Claro pode se tornar um polo de medicina, já que Araras, Limeira e Piracicaba também foram contempladas com o curso. A elas se junta a cidade de São Carlos, que já tem a graduação.

A criação do polo foi discutida por ele com os prefeitos de Araras, Nelson Dimas Brambilla, e Piracicaba, Gabriel Ferrato, em Brasília na quinta-feira (4). A ideia é discutir com os ministérios da Saúde e Educação formas integradas de implantar os cursos de maneira a fortalecer a região e o Aglomerado Urbano de Piracicaba, do qual os municípios fazem parte.

A instalação do curso de medicina em Rio Claro será viabilizada por meio do Programa Mais Médicos, do governo federal. No total, 39 municípios do interior de 11 estados brasileiros foram contemplados, sendo 14 no Estado de São Paulo. A meta do governo é ampliar o número de profissionais médicos no país.

Agora o próximo passo é selecionar a faculdade que irá oferecer o curso. Um edital deverá ser publicado com as regras. A seleção será feita pelo MEC. A prefeitura já recebeu declaração de interesse de pelo menos quatro instituições de ensino superior.

1 COMENTÁRIO

  1. A abertura de novos cursos de medicina com certeza ampliará a oferta de médicos mas não necessariamente a qualidade dos serviços prestados que atinge diretamente os mais pobres. É necessário uma reestruturação na saúde desde as instalações e equipamentos dos hospitais até no comportamento de todos os atores envolvidos incluindo principalmente a saúde pública.
    Percebe-se a subjetividade como as coisas relacionadas a saúde são tratadas até na própria matéria (intencionalmente) acha-se que por se ter mais escolas de medicina a população será beneficiada (em termos quantitativos é afirmativo e no qualitativo terá que haver uma releitura nos procedimentos).
    É necessário empreender maior dinâmica na saúde preventiva com campanhas mais enfáticas onde se esclareça a população de ações que possam dar maior qualidade de vida as pessoas e consequentemente menos doenças e frequência aos hospitais. Deve haver uma ação dos governos conjuntamente para as praticas desportivas e outras que melhorem as condições de trabalho para que os profissionais da saúde em todos os aspectos.
    Que seja bem vinda essas 38 escolas de medicina e que se elabore alguns procedimentos, leis ou afins que melhores substancialmente os serviços ligados a saúde em todos os aspectos.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: