Comerciante: uma profissão antiga em constante evolução

250

Nesta terça-feira (16), é comemorado o Dia do Comerciante, uma das profissões mais antigas e conhecidas. Apesar de ser tão tradicional, a arte do comércio é uma função que passa por constantes mudanças ao longo do tempo.

Quem presenciou bem estas mudanças foi a família rio-clarense Cusmano, que pratica o comércio há cerca de sessenta anos e vem passando a profissão de geração em geração. Hoje, a família é responsável pela tradicional loja Nossa Senhora do Rosário, que fica na Vila Alemã, mas a história destes comerciantes é muito mais extensa.

“Hoje meu pai, Fillipo Cusmano, tem 91 anos e não trabalha mais, mas foi quem deu início ao comércio em nossa família. Ele começou a vida de comerciante com vendas a pé, de porta em porta, depois com uma bicicleta, um Jipe e assim foi evoluindo. Eu e meu irmão mais velho Inácio fomos crescendo e acompanhando essa evolução até que começamos nesta carreira também, ajudando nosso pai. Fomos crescendo cada vez mais, meu irmão mais novo entrou também no ramo da família. Desde 1986 abandonamos as vendas de rua e abrimos a loja fixa, na qual seguimos até hoje”, conta Celestino Cusmano.

Durante todo este período, a família Cusmano foi se adaptando às diversas mudanças que aconteceram no mercado para continuar em alta. “Quando aconteciam as grandes mudanças é claro que nos assustávamos, mas sabíamos que era preciso aceitar a nova realidade e adaptar nosso trabalho. Graças a Deus conseguimos ir nos adaptando e atravessar todas as mudanças e hoje estamos já com a terceira geração da família trabalhando como comerciantes”, diz Celestino.

A família Cusmano hoje já entrou até no setor de vendas pela internet e comercializa produtos no site linhaconforto.com.br.

Bem mais jovem, mas com experiência já consolidada no mercado, a comerciante Viviane Uehara também aposta nas novas formas de comércio e é uma das proprietárias da Mirane Comics, loja virtual de revistas em quadrinhos, mangás e colecionáveis: “Já trabalhei, em outros mercados, com venda presencial e há diferenças. Na presencial tem como explicar o produto pessoalmente, conhecer as pessoas, tem uma comunicação mais assertiva no sentido de saber a reação dos outros visualmente. Na on-line é uma via de mão única, precisa ir testando o que posta. Mas consegue atingir um número maior de visualizações em pouco tempo. Tem público para os dois tipos de comércio”.

Viviane Uehara é uma das responsáveis pela Mirane Comics, loja online de HQs e colecionáveis

Qual sua opinião? Deixe um comentário: