Cirurgia eletiva cai quase pela metade no município

153

Favari Filho

306. Este foi o número de cirurgias eletivas realizadas pelo SUS [Sistema Único de Saúde] na Cidade Azul durante o segundo quadrimestre de 2015, de acordo com o relatório apresentado recentemente na Audiência de Prestação de Contas pela Fundação Municipal de Saúde de Rio Claro. O número total dividido pelo período em questão resulta em uma média de 76,5 cirurgia/mês, ou seja, cerca de 2,55/dia.

Comparado ao resultado do primeiro quadrimestre deste ano que, de acordo com a assessoria da Fundação Municipal, somaram 552, é possível perceber uma queda de pouco menos que a metade no número de cirurgias eletivas. Entre os meses de janeiro a abril, a média mensal de procedimentos realizados foi de 138; já por dia, algo em torno de 4,6 cirurgias foram contabilizadas.

Audiência de Prestação de Contas pela Fundação Municipal de Saúde de Rio Claro aconteceu na Câmara da Cidade Azul
Audiência de Prestação de Contas pela Fundação Municipal de Saúde de Rio Claro aconteceu na Câmara da Cidade Azul

CIRURGIA ELETIVA

Consiste em um tratamento cirúrgico proposto, mas cuja realização pode aguardar ocasião propícia, ou seja, pode ser programada, permitindo que o paciente ou o médico determine a melhor hora e lugar; diferente da cirurgia de urgência – que requer pronta atenção e deve ser realizada dentro de 24 a 48 horas – e da cirurgia de emergência, que necessita atenção imediata por se tratar de uma situação crítica.

A principal vantagem da cirurgia eletiva é que tem um resultado muito mais controlável e previsível, uma vez que a variante do acaso e das circunstâncias de emergência é removida. Alguns procedimentos eletivos são medicamente necessários, mas não urgentes, e são, geralmente, discutidos longamente com o médico antes que a cirurgia ocorra.

NÚMEROS

A oncologia é a modalidade que obteve maior número de cirurgias e está diretamente ligada ao câncer, que é o nome genérico para um grupo de mais de duzentas doenças. Embora existam muitos tipos de câncer, todos começam devido ao crescimento anormal e fora de controle das células. Em segundo lugar no ranking municipal vêm as cirurgias ginecológicas, que são realizadas em mulheres com diagnóstico de doenças no sistema reprodutor.

As gastrocirurgias e as vasectomias empatam em terceiro lugar no número de atendimentos, de acordo com a Unidade de Acompanhamento e Controle (UAC). A cirurgia do aparelho digestivo ou gastrocirurgia trata as doenças que são oriundas dos órgãos responsáveis pela digestão dos alimentos e anexos; já a vasectomia é um procedimento cirúrgico contraceptivo de esterilização masculina.

Cirurgia boco-maxilo, aquela que trata doenças e tumores da boca e corrige anomalias faciais, somou doze; em cirurgia geral foram contabilizadas sete; gastro, trinta e duas; ginecologia; trinta e quatro; laqueadura, dezenove; neurologia, vinte; oncologia, setenta e três; ortopedia, vinte e sete; otorrinolaringologia, oito; pediatria, vinte e dois; urologia, dez; vascular, dez; vasectomia, trinta e dois.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: