Cirurgia de prótese de mama: tire suas dúvidas

566

Publieditorial

O Jornal Cidade lançou neste domingo, 27 de agosto, ‘conteúdos especiais’ dentro do Suplemento Soft. A cada domingo, um assunto diferente, através de conteúdo produzido por especialistas de cada área. Na estreia, o assunto foi ‘Saúde e Beleza’ e profissionais gabaritados trouxeram informações preciosas para quem quer viver bem, com saúde e com qualidade.

No próximo domingo, dia 3 de setembro, o Soft trará um conteúdo ‘extra’ sobre Nutrição e Bem Estar. Especialistas darão dicas preciosas sobre alimentação, atividade física, saúde, beleza, estética e bem estar. Não perca!

CIRURGIA DE PRÓTESE DE MAMA

FELIPE BEDRAN NETO – CRM 134488

  • Cirurgião Plástico especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP)
  • Especialista em cirurgia de mama pelo Hospital Pérola Byington – Centro de referência da mulher de São Paulo.
  • Médico chefe da Cirurgia de Mama, do Serviço de Residência em Cirurgia Plástica do Hospital Santa Marcelina de São Paulo.

Segundo país no ranking mundial de cirurgia plástica, atrás dos Estados Unidos, o Brasil tem o implante de próteses mamárias de silicone como um dos procedimentos mais procurados pelas mulheres. Em 2011, foram aproximadamente 150.000 cirurgias, segundo dados da SBCP. Também conhecida como mamoplastia de aumento, a cirurgia de aumento de mama utiliza implantes para dar volume aos seios ou restaurar o volume mamário perdido após perda de peso ou gravidez, para quem tem um volume de mamas pequeno.

A mama é um dos principais órgãos da mulher, além de conferir a sensualidade feminina. Por isso, a maioria das pacientes que busca essa cirurgia, visa recuperar a autoestima e melhorar o contorno corporal. É uma cirurgia muito gratificante para as pacientes, pois o resultado é quase imediato.

Por muito tempo, discutiu-se a segurança desta cirurgia, mas hoje, com próteses mais modernas, com nanotextura e géis coesivos, os implantes mamários são muito seguros. Participei, em Campinas, do lançamento de um novo tipo de prótese. Elas contêm um chip, com o qual o médico pode ter todas as informações do implante da paciente, além da mesma ter uma nanotextura, favorecendo uma menor contratura capsular, que causa menos dor e deformidade da mama em longo prazo.

Atualmente, existem inúmeros tipos de prótese no mercado. Em relação à textura (texturizada ou poliuretano) , em relação ao perfil (baixo, médio, alto ou extra-alto), em relação ao formato (redonda ou em gota), e, se ela será colocada em baixo ou acima do músculo.  Ter a confiança no cirurgião e saber explicar o que se deseja, além de compreender o que realmente pode ser feito, é um dos passos inicias para o sucesso da cirurgia. Esta decisão deve levar em conta o biotipo da paciente, as medidas do tórax, o tamanho da mama, a prática de atividades físicas, o número de filhos, o gosto e a expectativa da paciente, assim, o cirurgião irá escolher o tamanho da prótese juntamente com a paciente.

Existem basicamente três tipos de incisões por onde podem ser colocadas as próteses: 1) por uma pequena incisão no sulco da mama, 2) pela aréola e 3) pela axila. A mais realizada é pelo sulco da mama, mas tudo é discutido durante as consultas.

Antes da cirurgia é muito importante uma avaliação clínica e de imagem da mama, para afastar qualquer tipo de doença ou nódulos nas mamas.

Para garantir o resultado, você vai precisar de calma para retornar à rotina. Geralmente pedimos afastamento das atividades por 2 semanas, a paciente deve evitar esforços físicos, evitar dirigir ou carregar peso e usar o sutiã pós-operatório. Atividades mais intensas são liberadas geralmente após 2 meses da cirurgia.

Assim como toda cirurgia, são realizados os exames pré-operatórios completos e avaliação anestésica. A cirurgia é sempre realizada em ambiente hospitalar, com todo suporte e segurança para a paciente. A paciente permanece no hospital, tendo alta geralmente entre 12-24 horas após o término da cirurgia.

Nenhum tipo de prótese é definitivo, porém não existe um tempo determinado para a troca. Toda paciente deve fazer acompanhamento anual da prótese, e caso haja alguma alteração, aí sim está indicada a troca.

A presença do silicone NÃO interfere na amamentação, já que a prótese é colocada atrás da glândula mamária. A prótese de mama também não interfere nos exames de controle da mama, que devem ser feitos de rotina após a cirurgia. Todas as mulheres, que tenham prótese ou não, devem realizar os exames preventivos da mama, anualmente, seja pelo Ultrassom, Mamografia ou Ressonância Magnética, a depender da idade e do tipo de mama de cada paciente.

Dúvidas: www.drfelipebedran.com.br / plastica.felipe@gmail.com

Venha nos visitar e tire suas dúvidas.

– MASTERCLÍNICA: Av. 25,  254 – Cidade Jardim  –  (19) 3534-2211

Qual sua opinião? Deixe um comentário: