Apesar dos problemas que o lixo sempre traz, é dali que o senhor Francisco Quirino do Carmo tira parte da renda que o sustenta

Lucas Calore

Apesar dos problemas que o lixo sempre traz, é dali que o senhor Francisco Quirino do Carmo tira parte da renda que o sustenta
Apesar dos problemas que o lixo sempre traz, é dali que o senhor Francisco Quirino do Carmo tira parte da renda que o sustenta

Quem mora próximo ao fim da Avenida Saburo Akamine, na região do Santa Eliza, tem que conviver diariamente com problemas. O senhor Nelson Basso, de 73 anos, mora há mais de duas décadas no bairro.

Ele diz que todos os dias praticamente há gente passando no trecho para jogar lixo ou entulho. Com isso é comum a presença de ratos, baratas e outros bichos, que aparecem sempre ali. “É difícil saber quem joga, vem gente de todo canto, principalmente à noite”, diz.

O outro lado

Na contramão dos problemas, há Francisco Quirino do Carmo. O mineiro de 84 anos mora em Rio Claro há 40 anos. Sozinho, vai buscar materiais sucateados no meio do entulho para poder revender e gerar renda. Ele diz que famílias também fazem isso. “Tenho que me sustentar, né?”, conta.

Prefeitura

A Prefeitura de Rio Claro informou que vai averiguar a situação no local e informa que a limpeza de terrenos, praças e canteiros centrais de vias públicas é feita regularmente em toda a cidade. “Além disso, o município possui estrutura para assegurar a destinação correta do lixo”, diz a nota enviada ao JC.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia: