Atletas do Juvenil no elenco do NBB 7

145

Matheus Pezzotti

Rafael, Victor, Guilherme e Leonardo integram time do RC Basquete que disputará a sétima edição do Novo Basquete Brasil
Rafael, Victor, Guilherme e Leonardo integram time do RC Basquete que disputará a sétima edição do Novo Basquete Brasil

Ter categorias de base é fundamental para o desenvolvimento da modalidade. Tradicional com o saudoso Chuvisco, o RC Basquete mantém a escrita e quatro atletas da categoria Juvenil integram o time Adulto, que em novembro iniciará as disputas da sétima edição do Novo basquete Brasil (NBB 7).

Trata-se do armador Guilherme Fermino, de 19 anos, que está na base desde 2011 e já integrou a equipe Adulta nos Jogos Abertos e Regionais de 2013 e a Liga Ouro e o Paulista deste ano; o ala/armador Leonardo Pegaia, também de 19 anos, desde 2007 no time e esteve nos Abertos de 2012, na Copa Sudeste em 2013 e na Liga Ouro e Paulista desta temporada; Victor Fontanetti, ala de 19 anos que esteve nos Regionais, Liga Ouro e o Paulista deste ano e; Rafael Soleira, ala/pivô de 20 anos, que chegou à cidade há um mês.

Todos estão ansiosos pela oportunidade e acreditam que a experiência será válida. “É muito importante estar em uma vitrine do basquete, ganhar experiência para que nos próximos anos possa servir de currículo para outros times. Jogar com grandes nomes também é muito gratificante, uma experiência única”, afirma Leonardo, um dos rio-clarenses do quarteto.

Para Victor, outro rio-clarense do grupo, além de se sentir honrado, cita a importância de ao menos treinar com grandes nomes do basquete. “É uma honra disputar o maior campeonato do país e dividir quadra nos treinos com grandes nomes do basquete. É uma experiência ímpar que só vai acrescentar ao meu basquete. Defender a sua cidade é uma motivação a mais ainda mais nessa volta do time à elite”, comenta.

Antes de vir para Rio Claro, Guilherme estava no time de Americana e, por se destacar, principalmente nos jogos contra Rio Claro, passou a fazer parte da base da cidade desde 2011 e não esperava fazer parte tão cedo do elenco que disputará o NBB.

“Representa muita coisa. É o sonho de qualquer um que está no time Juvenil e gera uma experiência enorme em relação ao basquete e à vida. Estamos participando mais, estamos mais integrados e interagindo com a equipe. Me destaquei e fui chamado para disputar o campeonato da Federação Paulista. Nunca tinha disputado e foi uma alegria enorme. Não imaginava já estar no time Adulto, ainda mais em um NBB”, diz.

Rafael, que estava no time de Franca, fez um teste e foi aceito e quer aproveitar o momento. “Para mim representa uma enorme experiência, dentro e fora de quadra. O NBB reúne as 16 melhores equipes do país e, jogar com os melhores, você é considerado um dos melhores. Quero aproveitar esse momento”, afirma.

O time Juvenil iniciará a disputa da Liga Desenvolvimento – voltada para a categoria Sub-22 – ainda neste mês e Leonardo Figueiro Alves, o Léo, que além de auxiliar técnico do Chuí também é técnico do Juvenil, projeta um desenvolvimento ainda maior dos atletas.

“É uma oportunidade única para jogadores que almejam seguir carreira. Antigamente, quando você atingia a idade-limite do Juvenil, ou você seguia ou parava de jogar, e agora, com essa competição, cria um lastro de três anos, jogando em uma competição estruturada, de alto nível e com planejamento, e isso só favorece esses jogadores. É uma possibilidade muito grande de revelar talentos que poderiam ser esquecidos. Os que estão começando veem esses jogadores que estão no time Adulto, no NBB, com grandes jogadores e vão se motivar ainda mais”, diz.

Os quatro atletas que estarão no time Adulto também disputarão a Liga Desenvolvimento e terão que conciliar as duas competições. “Acho que vai ficar um pouco carregado, mas antes eles reclamavam que não jogavam muito, agora não quero ver eles reclamarem que jogam muito”, acrescenta Léo em tom de descontração.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: