Artistas por trás da folia do Carnaval

144

Laura Tesseti

Montar fantasias, estrutura de carros alegóricos e escupir o que será apresentado na avenida é o trabalho de muitos profissionais, como Paulo, que veio de Parintins
Montar fantasias, estrutura de carros alegóricos e escupir o que será apresentado na avenida é o trabalho de muitos profissionais, como Paulo, que veio de Parintins

Na grande maioria das vezes, o espetáculo do carnaval, com muito brilho, plumas e enfeites, é a única coisa que o público vê, no momento em que as escolas desfilam pela Passarela do Samba.

Mas para tudo estar esplendoroso durante os dias de festas, muitas pessoas passam dias e noites dentro dos barrações das escolas, produzindo fantasias, montando estruturas e esculpindo carros alegóricos. Este é o trabalho de quem fica nos bastidores do carnaval.

O JC esteve no barracão da escola A Casamba e conversou com algumas pessoas que pegam no pesado para que o carnaval seja um lindo espetáculo. Carlos Barbosa foi o responsável pela criação das fantasias da escola, desde alas, até das que vão nos carros alegóricos e dos casais de mestre-sala e porta-bandeira, auxiliando os carnavalescos Eric Mota e Jeferson Zanotti.

O profissional trabalha com carnaval desde 1996 e conta que é preciso muita dedicação e trabalho para que tudo saia conforme o programado. “Precisamos nos concentrar no trabalho e fazer o nosso melhor, trabalhamos em equipe e todos ajudam a fazer o trabalho”, explica Cacá, como carinhosamente é conhecido na A Casamba. Os profissionais que trabalham montando as fantasias começam o trabalho por volta das 13 horas e vão até as 19h30, todos os dias.

“Muitas pessoas chegam aqui à noite e passam a madrugada montando fantasias, para que tudo fique pronto a tempo, e o trabalho necessita de muita dedicação”, conta um dos profissionais, responsável por montar as fantasias das alas. Paulo Neri Costa Moraes, de 33 anos, trabalha pela primeira vez no carnaval de Rio Claro.

De Parintins, onde acontece o festival folclórico considerado uma das maiores manifestações cultuais da América Latina, o profissional, que trabalha com esculturas e pintura desde os 17 anos em sua terra natal, completa a equipe da escola rio-clarense e fala sobre o trabalho realizado.

“Aqui tem bastante trabalho, ajudo nas esculturas e faço as pinturas, primeiro moldamos o isopor e depois eu faço a pintura, para que tudo fique perfeito”, conta.

Aproveitar a prática, o conhecimento e principalmente o talento desses profissionais tem transformado o espetáculo do carnaval. Paulo fala que trabalhou na escola Dragões da Real em São Paulo, realizando a pintura dos carros alegóricos, e depois veio para Rio Claro para trabalhar na A Casamba.

“Sete profissionais de Parintins passaram pela nossa escola este ano, com foco na construção dos carros, esculpindo as esculturas e trabalhando com as pinturas, todos realizando um excelente serviço”, finalizou Richard da Silva, responsável pelas alegorias.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: