Área para IML continua sem uso

560

Lucas Calore

O impasse sobre uma extensa área localizada na Rua 6, avenidas 23 e 25, no Cidade Jardim, continua em Rio Claro.

O local, com 7.088,00 metro quadrados, que abrigou uma quadra de atividades esportivas da Escola Joaquim Ribeiro durante as décadas passadas, encontra-se em estado de abandono hoje em dia.

Problemas

A reportagem do JC esteve no local nessa sexta-feira (24) e constatou a presença de mato alto em todo o entorno do quarteirão.

Ainda, no trecho da Rua 6, parte do muro está ao chão e há bastante entulho e lixo jogados na calçada. Moradores vizinhos ouvidos pela reportagem se queixam da situação e pedem providências.

“Os pedestres estão usando a rua, porque não têm como passar pela calçada. O fedor está grande e tem gente morando aí”, comentou o jardineiro de um imóvel próximo.

Cessão

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, assinou o decreto 60.707, publicado no dia 2 de agosto de 2014 no Diário Oficial do Estado, destinando-o “à instalação de unidade da Superintendência da Polícia Técnico-Científica da Polícia Civil do Estado”, de gestão da Secretaria da Segurança Pública.

IML

Na época, a cessão do local que abrigaria a ampliação do Instituto Médico-Legal (IML) trouxe até mesmo a diretoria do Núcleo de Perícias Médico-Legais de Campinas a visitar a área para avaliação.

Conforme veiculado no Jornal Cidade, ainda quando vereador, o atual prefeito Juninho da Padaria chegou a estar em São Paulo junto com representante da Superintendência da Polícia Científica, e veiculou a informação de que a cidade estaria correndo o risco de perder o novo IML para Araras, por impasse burocrático.

Moradores da vizinhança do terreno chegaram a projetar um abaixo-assinado para se posicionarem contrários à implantação do IML no espaço.

Apoio

Procurado, o deputado estadual Aldo Demarchi ressaltou, por meio da sua assessoria de imprensa, que “atua no Legislativo e a área pertence ao Poder Executivo”. Entretanto, “que se compromete a apoiar no âmbito do governo do Estado o projeto que a administração tiver para uso do terreno”.

Limpeza

Já a Prefeitura de Rio Claro, após indagação da reportagem sobre a questão, comunicou que tomará a iniciativa de fazer uma limpeza geral no local, visando diminuir os problemas vivenciados pelos vizinhos em função do estado em que o imóvel se encontra atualmente.

“A administração municipal também está estudando cercar a área com tapume. Ainda, vai iniciar conversas com o Governo do Estado de São Paulo com o objetivo de definir o melhor aproveitamento para a área”, informou pela assessoria.

SSP

A Secretaria da Segurança Pública do Governo do Estado de SP, que é o órgão que tem responsabilidade pelo local, informou em nota que “a Superintendência da Polícia Técnico-Científica determinou a limpeza e os cuidados necessários com o terreno. Cabe esclarecer que o imóvel havia sido cedido à Prefeitura de Rio Claro, que deixou de utilizá-lo no ano passado. A SPTC analisa a viabilidade orçamentária para a construção de uma unidade em Rio Claro, dentro do plano plurianual”.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: