A estátua, marco do Jardim Público, encontra-se dentro de grades há dezenas de anos para evitar depredações

Lucas Calore

A estátua, marco do Jardim Público, encontra-se dentro de grades há dezenas de anos para evitar depredações
A estátua, marco do Jardim Público, encontra-se dentro de grades há dezenas de anos para evitar depredações

No início deste ano, a praça sofreu duas perdas. A estátua do Índio, que fica na fonte, foi quebrada. Já a estátua de Diana, que ficava ao lado do Coreto, foi furtada. O Índio já foi restaurado e recolocado no lugar. A Polícia Civil investiga o caso do furto.

Com as recentes ocorrências no Jardim Público, em relação aos monumentos, fala-se também da segurança estrutural do Anjo da Concórdia, outro marco da praça. No primeiro mandato do prefeito Du Altimari, a Secretaria de Obras anunciou que iria retirar as grades do entorno do anjo, fato que nunca saiu do papel.

A grade foi colocada em volta da estátua na administração municipal do período de 1989 a 1992, após uma restauração e para evitar depredações. O Anjo da Concórdia recebe limpeza periódica, assim como os demais monumentos do Jardim Público, segundo a Prefeitura de Rio Claro.

Questionada se o projeto de retirar as grades está em vias de se tornar real, a assessoria de imprensa da Prefeitura afirmou que não há previsão. A Guarda Civil Municipal está com uma viatura durante o dia instalada na praça, que reforça a segurança no local e inibe a presença de infratores.

História

Há 99 anos que a Colônia Italiana de Rio Claro presenteou a comunidade rio-clarense com o Anjo da Concórdia. A estátua, produzida na Itália, tem 1,90 m de altura. O monumento foi feito em mármore Carrara, uma pedra branca com nuances em cinza e está instalado no Jardim Público, no Centro do município.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia: