Antonio Archangelo

Em contato com a reportagem, o empresário Paulo Cesar Scudeler negou que o “Shopping das Fábricas” visa tirar recursos da cidade. “Não é uma feira itinerante”, comentou ao JC.

“É um estabelecimento comercial normal. Eu sou arrendatário. E funcionaremos toda quinta, sexta, sábado e domingo no Sobradão. Vim pra trazer dividendos para a cidade. Trazer os lojistas da região, do atacado. Ao invés de viajar para Goiânia ou São Paulo, as pessoas poderão adquirir seus produtos em Rio Claro. Estamos há um ano e oito meses em Sorocaba, no começo foi assim também e agora todos ajudam”, disse à reportagem.

“Somos um espaço público e comercial. Ofereci vagas de emprego no sindicato com o Cerri. Vamos funcionar das 9h às 21h e de domingo das 9h às 18h. Só não funcionaremos nas datas em que o dono do espaço já tinha fechado, mas em todas as outras estaremos funcionando em Rio Claro”, concluiu o empresário.

Em nota, a prefeitura diz que “o Shopping das Fábricas está com toda sua situação legalizada na prefeitura, com licenças liberadas e pagamento de todas as taxas pertinentes ao comércio. Os lojistas integram o Sistema MEI – Micro Empreendedor Individual – que recolhe o imposto para o governo federal. Todo ICMS gerado nas vendas das lojas ficará no município”.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Notícias:

Idoso morre vítima de Covid em Rio Claro

Bia Haddad decepciona e cai na estreia em Wimbledon