Vereadores do PMDB se unem para derrubar moção que chamava atual processo de “golpe”. Moção de autoria de Dalberto (PDT)

Antonio Archangelo

Com apoio dos votos da maioria dos vereadores, a Câmara Municipal derrubou na segunda-feira, 4, a moção de apelo 49/2016, proposta pelo vereador Dalberto Christofoletti (PDT) que iria direcionar documento “para a Câmara federal impedir a repetição do ‘Golpe Civil – Militar como o ocorrido em 1964’, de triste memória, pois abalou o valor mais sagrado da política, que é a democracia”, citou.

A proposição, percebida que estava incluída no expediente pelo vereador Júlio Lopes (PP), foi derrubada pela bancada do PMDB, PSDB, DEM e PTB. Votaram em prol da moção os vereadores do Partido dos Trabalhadores: Raquel Picelli e Agnelo Matos e pelo autor Dalberto Christofoletti, que disse que “ninguém tem bola de cristal” para impedir um novo golpe.

Vereadores do PMDB se unem para derrubar moção que chamava atual processo de “golpe”. Moção de autoria de Dalberto (PDT)
Vereadores do PMDB se unem para derrubar moção que chamava atual processo de “golpe”. Moção de autoria de Dalberto (PDT)

MOÇÃO A MORO

Cabe lembrar, porém, que Dalberto foi um dos vereadores que votaram no dia 22 moção de apoio em prol do juiz federal Sergio Moro, responsável pelo julgamento dos envolvidos na Operação Lava-Jato.

Na oportunidade, Dalberto enviou, após a votação, à imprensa uma “ressalva” (que não existe no regimento da Câmara) para justificar seu voto. Para ele, o juiz necessita “ampliar as investigações”, dando a entender que Moro foca somente o governo federal de Dilma Rousseff (PT). Independentemente da manifestação, o voto do trabalhista foi computado favoravelmente ao magistrado.

PMDB e AFINS

Ontem, a vereadora Maria do Carmo (PMDB) reafirmou seu entendimento de “que não existe golpe em andamento no país”, mesmo direcionamento defendido pelo presidente João Zaine (PMDB), que não votou por impedimento legal imposto pelo regimento interno. A bancada do DEM, por meio de Juninho da Padaria, também falou contra a moção.

AUSENTE

O vereador do Partido Verde, Sérgio Moracir Calixto, se encontrava ausente da sessão ordinária.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Notícias:

Pharoah Sanders, saxofonista e lenda do jazz, morre aos 81 anos

Cresce número de crianças registradas por mães solo

JC nas Eleições debate dificuldade para Rio Claro eleger deputados