Folhapress

Uma universitária de 18 anos foi morta a tiros em uma estrada de Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo, vítima de latrocínio -roubo seguido de morte. Emilli Lucas Camargo estava acompanhada da mãe, Janice Lucas, que dirigia o carro da família, quando as duas foram abordadas pelos criminosos.

Em nota ao UOL, a Prefeitura de Embu das Artes informou que a GCM (Guarda Civil Metropolitana), com apoio da Polícia Civil, prendeu cinco suspeitos do crime, nesta segunda-feira (11).

A mulher teria se assustado e tentado avançar com o carro, que acabou alvejado pelos assaltantes, segundo a Record TV. Atingida, a jovem acabou não resistindo aos ferimentos.

O caso aconteceu na noite de domingo (10) na divisa de Itapecerica com Embu das Artes, de onde eram os primeiros guardas civis metropolitanos a chegarem ao local.

Os suspeitos foram encontrados depois que uma adolescente foi apreendida na região do crime, após ser encontrada com um cartão roubado tentando realizar compras.

Ao ser questionada sobre a origem do cartão encontrado com ela, a menor forneceu o nome de um dos envolvidos no caso, que teria realizado outros assaltos no mesmo dia. Com a identidade do primeiro suspeito em mãos, as equipes da polícia chegaram ao grupo detido.

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) informou ao UOL que o caso é investigado pelo Setor de Investigações Gerais (SIG) da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise) de Taboão da Serra.

Além dos homens detidos, outras três pessoas são investigadas, mas a identidade dos envolvidos não foi divulgada.

Emilli morava em Embu das Artes e cursava faculdade de nutrição, segundo informações de seus perfis nas redes sociais.

Primas da jovem também usaram a internet para manifestar sua revolta pelo assassinato. Larissa Lucas compartilhou a notícia em seus stories do Instagram e pediu “que a justiça seja feita”. “A estrelinha mais linda do céu”, lamentou ela na homenagem à jovem.

“Luto, prima, descansa em paz”, escreveu Camila, também prima da vítima. Até o momento, não há registros de postagens públicas da mãe da estudante, que a acompanhava no momento do crime.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Segurança:

Concluída 1ª etapa da obra na rotatória da Avenida 32

10º Baep realiza treinamento de ‘atirador designado’