Santa Gertrudes: revisão de tarifa de água é de 14,82%

176

A partir do dia 1º de dezembro, os valores das tarifas de água e esgoto em Santa Gertrudes, praticados pela concessionária BRK Ambiental, sofrerão revisão de 14,82%. A revisão tarifária, de acordo com a empresa, é baseada no resultado da segunda revisão tarifária ordinária do contrato de concessão aprovada pela Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp) e está sendo cumprida após deliberação da Arsesp, publicada na quarta-feira (30).

Segundo a concessionária, a revisão será aplicada em todas as categorias de usuários e faixas de consumo, bem como sobre os outros serviços praticados pela empresa, a exemplo de ligação de água, regularização de cavalete e ligação de esgoto.

Com a revisão, o valor da tarifa de referência passa de R$ 3,8576 (três reais e oito mil quinhentos e setenta e seis décimos de milésimo de real) para R$ 4,4293 (quatro reais, quatro mil duzentos e noventa e três décimos de milésimos de real). O valor da conta será calculado considerando um consumo mínimo de 10 m³ por mês para as categorias residencial, comercial e pública e de 15 m³ por mês para a categoria industrial.

Índices

O valor é menor do que havia sido solicitado pela BRK. Isto porque, no início do mês de outubro, uma audiência pública foi realizada no município vizinho pois havia a possibilidade de o reajuste chegar a 23,57%, índice que a empresa solicitou. No relatório apresentado à Arsesp, justificou o percentual considerando, por exemplo, que se verificou significativa redução do consumo de água em razão da crise hídrica ocorrida em 2014.

Por fim, segundo a deliberação da nota técnica final publicada pela Arsesp, o Índice de Reposicionamento Tarifário (IRT) de 14,82% foi obtido a partir das projeções dos componentes do Fluxo de Caixa Projetado e garantirá equilíbrio no prazo total da concessão (nov/2010 a out/2040). Na nota técnica preliminar da Agência, o Índice de Reposicionamento Tarifário (IRT) chegava a uma revisão na ordem de 10,52%.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: