Relógios da antiga Estação Ferroviária recebem manutenção

159

Divulgação

Os dois relógios da antiga estação ferroviária de Rio Claro receberam manutenção nessa terça-feira (10), com a lubrificação das engrenagens dessas máquinas que durante as décadas de ouro da Companhia Paulista marcaram com absoluta pontualidade a chegada e partida das composições que vinham da capital ou a ela se dirigiam diariamente.

O serviço foi realizado pelo rio-clarense João Bortolotti Filho, que precisou de um caminhão munck para elevá-lo até o local e garantir sua segurança até a conclusão do trabalho.  Ele conta que se interessou pelo assunto ao acompanhar, quando jovem, o irmão, Geraldo, então responsável pela manutenção dessas máquinas importadas que também informavam, com precisão de milésimos de segundos, as horas aos passageiros em várias estações de trem européias.

Manutenção sendo feita no relógio da antiga Estação Ferroviária de Rio Claro
Manutenção sendo feita no relógio da antiga Estação Ferroviária de Rio Claro

O trabalho executado por Bortolotti é voluntário e ele revela paixão pelo serviço. Além da lubrificação mensal nos dois relógios da antiga estação de Rio Claro, o da fachada e um interno, na gare, que receberam manutenção nesta terça-feira, o aprendiz de relojoeiro que se tornou um especialista nestes equipamentos, também faz uma revisão geral dos maquinários uma vez por ano.

Bortolotti realiza os mesmos serviços de manutenção e revisão nos relógios da Matriz de São João Batista e da Igreja da Santa Cruz. E cuida, ainda, dos relógios antigos que decoram as torres da pequena e antiga igreja de São Joaquim, em Santa Gertrudes, e da matriz de Cordeirópolis.

1 COMENTÁRIO

  1. O trabalho é voluntário, mas não deveria ser. Exige conhecimento, experiência, dedicação e destreza. Deveria ser remunerado, registrado e garantido por lei para que todas as administrações municipais mantivessem o patrimônio em dia. Infelizmente há de se contar com força de vontade de um para garantir o que é dever de todos.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: