Foto Ilustrativa

PATRÍCIA PASQUINI – SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Com o fim do verão, o outono entrará em cena neste domingo (20), a partir das 12h33 (horário de Brasília).

A nova estação é a transição entre o clima chuvoso e quente do verão e o período frio e seco do inverno.
Assim, as madrugadas devem ficar mais frias e os dias com temperaturas mais agradáveis. Nesta época é comum sentir os efeitos da grande amplitude térmica -diferença das máximas e mínimas registradas em um mesmo período.

O outono, que terminará às 6h14 do dia 21 de junho, vai mudar o clima no estado de São Paulo logo no primeiro dia.

Segundo a Climatempo, uma frente fria passa pelo litoral paulista, provoca chuva forte e derruba as temperaturas.

A tempestade pode causar transtornos na Grande São Paulo e em outras áreas do estado, especialmente durante a noite deste sábado (19) e o domingo, que terá máxima prevista de 23°C.

Este outono terá a influência do fenômeno La Niña -caracterizado pelo resfriamento anormal das águas do Pacífico Equatorial-, que se intensificou durante o verão.

O La Niña fez com que a chuva caísse com mais frequência e volume em algumas áreas de Minas Gerais, Espírito Santo e Rio de Janeiro, como por exemplo, em Petrópolis.

No primeiro mês do outono, de acordo com a Climatempo, o litoral paulista terá volumes de chuva acima do normal por causa das frentes frias que passarão pelo oceano. O frio mais intenso será sentido na segunda quinzena de maio.

Em março, o estado de São Paulo terá ocorrências de chuva forte e duas frentes frias, que trarão massas de ar frio de origem polar. Na Grande São Paulo e no leste do estado, a sensação de frio estará presente, mas a temperatura não será tão baixa.

A tendência é que abril seja mais seco, exceto no litoral paulista, que terá chuva volumosa acima do normal para esta época. O excesso de umidade e de nuvens no leste do estado, bem como o céu nublado, proporcionarão a sensação de frio em alguns dias.

Maio terá chuva abaixo do normal, mas a presença de fortes ondas de frio, em especial na segunda quinzena do mês, quando as temperaturas deverão ficar perto ou abaixo dos 10°C.

De acordo com o boletim da Climatempo, junho poderá ter dias úmidos acima do normal.

As médias de chuva para junho no estado de São Paulo serão baixas, mas por causa da convergência de umidade o centro-norte de São Paulo, a região do Vale do Paraíba e a Mantiqueira deverão terminar o mês com chuva acima da média.

CAPITAL PAULISTA
A média de chuvas esperada para o outono na capital paulista é de 208,8 mm, dentro do normal para os meses da estação, conforme explica o técnico em meteorologia do CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas) da Prefeitura de São Paulo, Adilson Nazário.

Nos últimos dois anos esse índice ficou muito abaixo do esperado, principalmente em 2020, quando o registro de precipitação foi de apenas 68,5 mm. As informações são do CGE.

Desde 1995, o outono mais chuvoso ocorreu em 2012 -406,8 mm. O ano 2000 registrou o outono mais seco. Houve 50,2 mm de chuva.

“Não vira a chave logo, amanhã. Teremos mais chuva forte até o final de março e depois vamos entrando nos eixos”, afirma Nazário.
Em relação às temperaturas na cidade de São Paulo, de acordo com o órgão, são esperadas em abril mínima média de 17,3°C e máxima de 26,3ºC.
No mês de maio, as médias poderão ficar entre 14,5°C e 23,6°C, e em junho a expectativa será de temperaturas oscilando entre 13,5°C e 22,9°C.
O outono na capital paulista não fugirá a regra. As madrugadas até o início da manhã serão frias e os dias com temperaturas mais agradáveis. “Normalmente, em maio, costuma ter bloqueios atmosféricos, quando as massas de ar seco se formam e não deixam as frentes frias passarem. Não tem chuva e esquenta um pouco mais. Nós teremos seis meses com chuva bem abaixo da média”, explica Nazário.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.