No bairro São Miguel está um dos seis ecopontos de Rio Claro e, mesmo assim, a falta de educação de uma minoria prejudica moradores do bairro com o descarte incorreto de materiais. Nesta semana, nova ação de limpeza será feita pela prefeitura em terreno do bairro que fica em frente ao ecoponto, pois uma grande quantidade de lixo e entulho foi deixada no local, situado a 50 metros de onde, em breve, será construído posto de saúde.

“A pessoa que age dessa maneira, fazendo descarte incorreto de materiais, está deixando a cidade suja e desperdiçando dinheiro público, pois os serviços de limpeza pública mobilizam servidores, máquinas e equipamentos”, comenta o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, reforçando a orientação para que todos colaborem com a conservação dos serviços de limpeza e manutenção. Os ecopontos, por exemplo, abrem de segunda a sábado das 8 às 20 horas, e nos feriados, das 8 às 17 horas e ficam nos bairros São Miguel (anel viário, perto da Avenida 62A), Inocoop/Guanabara (Avenida Tancredo Neves com a rodovia Fausto Santomauro), Jardim Figueira (Avenida 54 em frente à Rua 27), Jardim das Palmeiras (Avenida 3JP, ao lado da Estação de Tratamento de Esgoto), no Cervezão (Rua 6A, Avenida M21) e Jardim São Paulo (Rua 1A).

Além dos ecopontos, o bairro São Miguel conta com todos os outros serviços oferecidos pela prefeitura para o descarte correto de materiais. A coleta de lixo domiciliar é feita três vezes por semana, o bairro é atendido com o serviço mensal de cata bagulho, no qual caminhão da prefeitura recolhe porta a porta itens inservíveis, como móveis velhos e recebe também coleta seletiva. “A colaboração da comunidade é essencial para que os bairros fiquem em ordem, não adianta a prefeitura limpar e logo em seguida jogarem lixo e sujeira de novo”, ressalta o prefeito Juninho.