PM trabalha com hipótese que bala perdida foi disparada pela quadrilha

205

Carine Corrêa

MEDO E PAVOR: Durante confronto da PM com uma quadrilha, um trabalhador foi morto, um bandido ferido e um policial atingido por estilhaços de tiros
MEDO E PAVOR: Durante confronto da PM com uma quadrilha, um trabalhador foi morto, um bandido ferido e um policial atingido por estilhaços de tiros

Uma tentativa de assalto a um edifício localizado na Rua 14 com a Avenida 2, mobilizou viaturas da Polícia Militar nessa sexta-feira (24). Até mesmo o helicóptero Águia foi acionado para auxiliar na ocorrência que resultou na morte do trabalhador Júlio Rodrigues da Silva, de 58 anos, morador do município de Vinhedo. Júlio foi vítima de uma bala perdida durante confronto entre a PM e os criminosos. Um policial também foi atingido pelos estilhaços dos projéteis na região do braço e do ombro.

A ação teve início por volta das 9 horas. A quadrilha composta por seis ou sete integrantes entraram no prédio, que fica ao lado de um supermercado daquela região. Inicialmente os ladrões abordaram dois funcionários do edifício. O objetivo da quadrilha seria a cobertura do prédio.

A Polícia Militar diz que o morador de um dos apartamentos acionou a PM. “Inicialmente se deslocaram duas viaturas com quatro policiais. Com a troca de tiros, foi necessário mais apoio nesta ocorrência’, ressalta o Capitão Barreto da 1ª Companhia da PM.

No local, dezenas de cápsulas do armamento usado pelos criminosos e policiais no tiroteio
No local, dezenas de cápsulas do armamento usado pelos criminosos e policiais no tiroteio

Três ou quatro dos integrantes da quadrilha saíram pela parte da frente do edifício. Durante o tiroteio, eles estraram em um Sentra de cor preta, com placas de Curitiba e fugiram em direção a Avenida 2, atravessando a Rua 14. Outros dois teriam fugido pela outra garagem, na parte superior do prédio. “Presumimos que outro veículo estava do outro lado. A dupla provavelmente fugiu com esse carro”, acrescenta Barreto.

Um policial que também participou da ocorrência, revelou que esta outra garagem faz divisa com um terreno baldio. Nesse espaço, os policiais localizaram uma blusa, um moletom e um protetor de óculos que podem ter sido dispensado pela dupla durante a fuga. A polícia também acredita que durante o confronto, um dos tiros tenha atingido um dos integrantes da quadrilha que estava no carro Sentra, já que no interior do veículo – que foi localizado posteriormente no bairro Palmeiras – haviam manchas de sangue.

Capitão Barreto justifica que a bala perdida que atingiu Júlio e resultou em sua morte, veio da direção dos bandidos. “Essa hipótese está sendo considerada em razão do posicionamento das viaturas e do local onde estavam os assaltantes no momento do tiroteio. O trabalhador foi atingido no queixo e fazia a entrega de mercadorias no supermercado ao lado. O supermercado informou que o entregador veio para Rio Claro em um Fiorino com placas de Vinhedo”, informa a autoridade. O policial que foi atingido pelos estilhaços dos projéteis passa bem, segundo Barreto. Em sua avaliação, a quadrilha não conhecia a cidade, já que a fuga não foi realizada nos acessos de saída do município. Barreto esclarece que a ocorrência foi tipificada como tentativa de roubo seguida de morte. Depois do confronto que ocorreu no prédio, os policiais fizeram uma varredura e vistoriariam todos os andares do edifício. A quadrilha estaria com armas curtas e, no local do tiroteio, as autoridades encontram uma cápsula de fuzil.

2 COMENTÁRIOS

  1. A polícia foi totalmente incompente ao não fechar o acesso à avenida 14 e 12. Foram mais amadores do que os próprios vagabundos. Lamentável…

Qual sua opinião? Deixe um comentário: