Olga Salomão defende a “desprivatização do poder público” para Rio Claro avançar

137

Antonio Archangelo/Coluna PolítiKa

Na foto de arquivo, Olga Salomão assume a prefeitura, entrando para a história política de Rio Claro
Na foto de arquivo, Olga Salomão assume a prefeitura, entrando para a história política de Rio Claro

Vereadora entre os anos 1989-1992 e atualmente vice-prefeita e secretária municipal de Planejamento, Desenvolvimento e Meio Ambiente, Olga Salomão conversou com a coluna sobre a possibilidade de vir a ser candidata a prefeita, visando dar continuidade ao governo do prefeito Du Altimari (PMDB). Para ela, a “possibilidade sempre existe”.

“O que é necessário é manter a Frente Progressista para avançarmos num projeto político que valorize a participação e a justiça social”, defendeu a petista, que entrou para a história do município ao assumir, momentaneamente, o Poder Executivo rio-clarense.

Para ela, o foco para que a cidade avance é a “desprivatização do poder público”. “Organização da cidade de modo que possamos fazer valer as regras para todos”, conclui de maneira sucinta para as perguntas feitas pela Coluna.

Olga se tornou nome forte para compor chapa com o então candidato Du Altimari, em agosto de 2008. Naquela oportunidade, o Partido dos Trabalhadores (PT) confirmava o nome da ex-vereadora à disputa da sucessão municipal. “Trata-se de uma pessoa experiente que vai representar o nosso partido da melhor maneira possível”, comentava o então o presidente da sigla, Wanoeles Ramos Ribeiro, o Catalão.

Com a decisão, a sigla passou a pressionar para que a pré-candidatura a prefeito de Altimari se tornasse realidade. “Se o Du Altimari for confirmado pelo PMDB, a Olga será candidata a vice. Caso contrário, vamos lançá-la como candidata a prefeita, abrindo espaço para o PMDB indicar o candidato a vice”, observava o dirigente partidário.

Olga Salomão foi vereadora na gestão 1989-1992. Nessa época, a cidade era administrada pelo ex-prefeito Azil Brochini. Indagada sobre a disputa eleitoral que se aproxima e a indicação feita pelo PT, ela dizia: “Tenho maturidade política”. Olga e Altimari venceram as duas eleições seguintes.

SÉRIE DE ENTREVISTAS

>>> “Se necessário, o próximo prefeito terá de reduzir comissionados e secretarias”, diz Zaine

>>> “Candidato tem que dar um indicativo claro de que fará um governo de ruptura”, diz João Walter

>>> “Vou continuar trabalhando e agradeço pelo apoio”, diz Juninho da Padaria

>>> “Precisamos romper com a polarização política que vivemos há décadas”, diz Valdanha

>>> “Candidatura não se viabiliza por vontade individual de quem quer que seja”, diz Agnelo

>>> “Precisamos de um novo distrito industrial para Rio Claro”, avalia Ronald Penteado

>>> “Tenho convicção de que RC aumentou seu protagonismo e fará ainda mais”, diz Perissinotto

Qual sua opinião? Deixe um comentário: