Morte na UPA da 29: família cobra vídeo e exige justiça

6781

Darlene Aparecida dos Santos é irmã de Anderson, que morreu após dar entrada na UPA da Avenida 29 na última terça-feira (25). Ela questiona divergências entre depoimentos de servidores da saúde e imagens do circuito de segurança, falta de acesso ao vídeo gravado na unidade e pede por Justiça.

A reportagem foi destaque na edição do Jornal Cidade do último sábado (29). Clique para conferir na íntegra.

Confira a nota enviada pela Prefeitura Municipal sobre o caso:

“A Fundação Municipal de Saúde de Rio Claro instaurou nesta sexta-feira (28) procedimento administrativo disciplinar determinando, de forma preventiva, o imediato afastamento de servidores envolvidos no atendimento de um paciente que faleceu na terça-feira (25), após passar pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da 29.
A Fundação também comunicou as autoridades policiais e fez um boletim de ocorrência.
Tais medidas foram tomadas diante da situação incomum de um paciente ser encontrado caído próximo à unidade de saúde, logo após ser atendido na mesma. E também porque as imagens feitas pela câmera de segurança da UPA 29 mostrarem situação diferente da relatada pelos funcionários sobre como o paciente deixou o prédio. “Temos insistido em um atendimento de qualidade, com respeito e acolhimento, por isso vemos total necessidade de apurarmos o ocorrido”, explica a secretária municipal de Saúde, Maria Clélia Bauer.
O paciente chegou à UPA 29 na terça-feira (25) às 8h55 levado pelo Samu, que o socorreu numa obra no Jardim Nova Rio Claro, chamado pelos pedreiros. O paciente não trabalhava na obra.
O paciente recebeu atendimento imediato na UPA, onde permaneceu até por volta das 13h50. Aproximadamente 30 minutos depois, foi encontrado caído na Rua 13, na calçada oposta ao prédio da UPA 29. Alertados por populares, funcionários da UPA foram até o local e trouxeram o paciente de volta à unidade, onde o médico constatou o óbito.
Inicialmente, funcionários relataram que o paciente havia deixado o prédio da UPA por iniciativa própria. As imagens de câmera externa mostram que o paciente recebeu ajuda, sendo conduzido até a porta dos fundos da unidade numa cadeira de rodas.
O prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, que determinou rigor nas apurações dos fatos, expôs o assunto em reunião nesta sexta-feira (28) com vereadores e representantes de vereadores. “A Câmara como órgão de fiscalização das ações do Executivo estará atenta e acompanhando de perto as etapas da apuração”, afirma o presidente da Câmara, o vereador André Godoy.
Da reunião também participaram os vereadores Paulo Guedes, Rogério Guedes, Geraldo Voluntário, Thiago Yamamoto e Seron, e os secretários municipais Maria Clélia Bauer (Saúde), Rodrigo Ragghiante (Negócios Jurídicos) e Marco Antônio Ballagamba (Segurança), e Silvio Aparecido Martins (Chefe de Gabinete)”

Qual sua opinião? Deixe um comentário: