Com o objetivo de alertar sobre a venda e o perigo do uso de anabolizantes, uma família saiu às ruas de Rio Claro carregando cartazes e divulgando o assunto em cruzamentos movimentados.

Aos 28 anos, o rio-clarense Jean Carlos Fonseca Milani morreu no dia 5 de abril deste ano após ficar internado por 17 dias. O caso dele foi destaque nas páginas do Jornal Cidade pela atitude da família, mesmo em meio à dor, de doar os órgãos do rapaz e salvar vidas.

De acordo com a família, Jean fez o uso de anabolizantes, fato esse que comprometeu sua saúde e o levou à morte. Os primeiros sintomas apareceram com uma forte dor de cabeça e para o estado se agravar foi uma questão de poucos dias.

A mãe Madalena Ribeiro afirmou que sabia que o filho usava alguns produtos liberados para melhorar a forma física, mas que só foi saber dos anabolizantes quando ele já estava em estado grave. Foram encontradas seringas e outros produtos usados pelo filho na busca de um corpo musculoso e definido.

Ela, amigos e outros familiares resolveram então expor o assunto para que outras outras mães, outras famílias não venham a chorar e que outros jovens não percam a vida por conta disso: “São substâncias proibidas e que não valem a vida. Fica o alerta para que donos de academias verifiquem se estão vendendo clandestinamente isso nos locais, para que jovens não comprem de terceiros nem em sites”, alertou.

O que são?
Anabolizantes são hormônios esteroides naturais e sintéticos que promovem o crescimento celular e a sua divisão, resultando no desenvolvimento de diversos tipos de tecidos, especialmente o muscular e ósseo.

Desejo de Jean foi realizado

Jean teve o coração, rim, fígado e córneas doados a outros pacientes que estavam na fila de transplante. A identidade dessas pessoas que receberam os órgãos é mantida em sigilo.

“Um doador pode salvar até oito vidas e isso é muito importante que seja divulgado. Existem muitos mitos sobre a doação de órgãos, então, converse com o hospital, tire as dúvidas, porque doar é um ato de amor. Precisamos conscientizar as pessoas sobre isso”, afirmou Carlos Spatti, gerente de enfermagem da Santa Casa de Rio Claro.

O procedimento de Jean foi a segunda doação de órgãos registrada na Santa Casa de Rio Claro neste ano. Em 2021 houve três no total. De janeiro a dezembro foram doados um coração, dois pares de córneas, três rins e três fígados.

“Jean sempre foi um irmão tímido mas extremamente carinhoso, que amava a família. Um amigo para todas as horas. O futebol era uma de suas paixões. Jogava bola como zagueiro e torcedor fiel e fissurado pelo Palmeiras. Preocupado com o próximo manifestou seu desejo em ser doador de órgãos e nós não poderíamos simplesmente ignorar essa vontade. Deixou com muito amor um pedacinho dele e salvou outras vidas”, revelou a irmã Agatha Milani.

Médico fala sobre os riscos dos anabolizantes para a saúde

Em entrevista à rádio Jovem Pan News, o ortopedista/médico do Esporte Fábio Grillo alerta para os riscos do consumo de anabolizantes. Autor do livro “Viver é Arte… O equilíbrio faz parte”, Grillo propõe uma busca por qualidade de vida através de cuidados com o corpo e a mente. Veja no vídeo abaixo:

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Dia a Dia:

Alerta: homem morre vítima de Covid em Rio Claro

10º Baep realiza treinamento de ‘atirador designado’

Refis: emenda ‘bloqueia’ empresas por três anos