Dilma Rousseff em discurso de defesa do seu mandato no Senado Federal (Foto: Fabio Pozzebom/Agência Brasil)

Lucas Calore

Dilma Rousseff em discurso de defesa do seu mandato no Senado Federal (Foto: Fabio Pozzebom/Agência Brasil)
Dilma Rousseff em discurso de defesa do seu mandato no Senado Federal (Foto: Fabio Pozzebom/Agência Brasil)

O Senado Federal decidiu nesta quarta-feira, 31 de agosto, pelo impedimento definitivo da presidente Dilma Rousseff (PT) pelo crime de responsabilidade.

O julgamento total durou seis dias e, agora, a petista será afastada definitivamente do cargo. A votação do impeachment realizada pelos senadores obteve 61 votos a favor e 20 contra. Eram necessários ao menos 54 votos entre os 81 senadores.

Inabilitação (Atualizado às 14h09)

Uma segunda votação decidiu pela inabilitação de Dilma Rousseff para a função pública. Por 42 votos a favor e 36 contra, com 3 abstenção, o Senado afastou a pena de inlegibilidade por oito anos.

Julgamento

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, comandou o julgamento. O então presidente interino Michel Temer (PMDB) assume a posição oficial de presidente do Brasil.

A repercussão no cenário político de Rio Claro você confere na edição impressa do Jornal Cidade nesta quinta-feira (1º).