Curso de medicina: Rio Claro passa por avaliação final

319

Saúde

Rio Claro está recebendo nesta semana a visita de integrantes da Comissão de Acompanhamento e Monitoramento de Escolas Médicas (Camem) do Ministério da Educação e Cultura (MEC). As docentes Sandra Helena Cerrato Tibiriçá e Oscarina Ezequiel vão ficar três dias na cidade para avaliar o funcionamento da rede de saúde local e também do Claretiano Faculdade para implantação do curso de medicina. Essa é a etapa final do processo de avaliação. Se aprovado, o município estará apto a iniciar o curso.

“Estamos muito felizes em receber as representantes do MEC e preparados para prestar os esclarecimentos necessários para o início do curso”, declara o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria, que se reuniu com as docentes na manhã de segunda-feira (26). O secretário municipal de Saúde, Djair Francisco, forneceu informações sobre a estrutura da rede pública de saúde e o funcionamento em rede das unidades, bem como dos hospitais credenciados para receber os alunos da residência médica.

“Essas parcerias são muito importantes para oferecer aos estudantes a experiência prática que complementa a formação acadêmica”, destaca Djair, reforçando ainda a importância do apoio do Conselho Municipal de Saúde que tem sido parceiro nas ações do município para melhorar o atendimento à população. A participação dos vereadores na votação dos projetos também foi destacada. “A Câmara fez a sua parte para que o curso de medicina seja instalado no município”, comenta André Godoy, presidente da Câmara Municipal.

O padre Luiz Botteon, diretor geral do Claretiano Faculdade, explica que a visita da comissão é a etapa final de avaliação do MEC para implantação do curso de medicina em Rio Claro. “A comissão veio verificar as condições do município e da faculdade para atender as futuras necessidades do curso”, esclarece. Para isso, as representantes do MEC vão visitar a faculdade para conhecer a estrutura disponível, como laboratórios e corpo docente.

Relatório

As informações coletadas em Rio Claro vão compor relatório que será enviado para o MEC, que tem 60 dias para emitir parecer indicando se a instituição está apta em ofertar o curso ou se há necessidade de eventual saneamento ou adaptação das condições apuradas. Botteon afirma que a faculdade está se preparando com base nas regras estabelecidas pelo MEC e que está pronta para iniciar a formação. “Nossa expectativa é de que as aulas comecem no início de 2018”, disse.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: