Carine Corrêa

Dando sequência às pesquisas encomendadas pelo Grupo JC de Comunicação à Centro Abril – Indsat (Indicadores de Satisfação), desta vez as simulações divulgadas são para a disputa estadual nas eleições de 2018. A pergunta para o rio-clarense foi: “se as eleições fossem hoje, em quem você votaria para governador do Estado?”

Jornalista e analista político da Indsat, Paulo Ricardo Gomes avalia que, para o pleito estadual, a disputa para governador é acirrada em Rio Claro. Elenca ainda possibilidades do atual vice-governador do Estado de São Paulo Márcio França ganhar força, bem como a do presidente estadual do Partido dos Trabalhadores, Luiz Marinho, atrair mais holofotes ao ter o apoio nas campanhas do ex-presidente Lula. “Nesta corrida eleitoral, considerando a possibilidade de Márcio França assumir o Governo do Estado em abril, há grande possibilidade de sua candidatura ganhar espaço no ano que vem. O mesmo aconteceria com o petista Luiz Marinho, se vier sob a tutela da candidatura de Lula à Presidência. Sem dúvida, ao contrário das últimas eleições, nas quais o PSDB venceu com grandes possibilidades, teremos uma eleição bastante disputada”, observou.

Dentre os nomes tucanos que são ventilados para governador de São Paulo, além de Serra e do prefeito da capital paulista João Doria, consta ainda a do secretário de Estado de Desenvolvimento Social de São Paulo Floriano Pesaro, que não aparece nas simulações para a corrida eleitoral de 2018. Comparando os cenários 1 e 2 (vide ao lado), José Serra obtém vantagem sobre o vice-governador Márcio França e em Rio Claro Doria não ganharia o pleito.

Metodologia da pesquisa JC/Indsat

A pesquisa encomendada pelo Grupo JC à Centro Abril-Indsat (Indicadores de Satisfação) foi realizada em Rio Claro na terceira semana de novembro deste ano, com o objetivo de avaliar a administração pública e assuntos políticos no município.

Com uma população de 186.299 habitantes (IBGE 2010) e 145.419 eleitores, foram ouvidas na cidade 400 pessoas, com uma margem de erro máxima estimada de 4% para mais ou para menos sobre os resultados gerais obtidos, com um intervalo de confiança de 95%. A coleta de dados, segundo a metodologia do levantamento, foi por meio de entrevistas pessoais residenciais.

“A ideia da Indsat nasceu em julho de 2013, em meio às manifestações que sacudiam o Brasil. O objetivo é gerar conteúdos e informações sobre os principais serviços e agentes públicos dos municípios, tendo como base Pesquisas de Opinião realizadas com o alto rigor metodológico exigido pelo mercado”, ressaltou Hudson Luís Gomes, o criador da Indsat. “Com a Indsat acreditamos que prefeitos, empresários e cidadãos possam estar bem informados em relação aos Serviços Públicos de seus municípios e, assim, promover as melhorias necessárias para o bom cumprimento dos mesmos”, acrescentou.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.