Soltura de fogos de artifício requer cuidados. As pessoas devem sempre seguir as instruções do rótulo (foto Agência Brasil)

Ednéia Silva

Soltura de fogos de artifício requer cuidados. As pessoas devem sempre seguir as instruções do rótulo (foto Agência Brasil)
Soltura de fogos de artifício requer cuidados. As pessoas devem sempre seguir as instruções do rótulo (foto Agência Brasil)

O mês de junho se aproxima e com ele as tão esperadas festas juninas e quermesses. Além de quentão e quadrilha, esses eventos são marcados pela soltura de balões e fogos de artifício. A Defesa Civil de Rio Claro já está em alerta para acidentes, visto que nem sempre as pessoas respeitam as normas técnicas no momento da soltura.

O assunto foi discutido pelo diretor da Defesa Civil, Danilo de Almeida Kuroishi, no programa Jornal da Manhã dessa segunda-feira (25). Ele comenta que a tradição de soltar fogos de artifício e balões é muito forte nesta época de festas juninas e julinas.

A primeira regra a ser cumprida é comprar os fogos de artifício em estabelecimentos credenciados e habilitados para comercializar esse tipo de produto. Segundo ele, em Rio Claro são quatro lojas habilitadas. É preciso ter licença do Corpo de Bombeiros e da Polícia Civil e alvará da prefeitura.

É necessário ficar atento também à faixa etária para venda e compra dos produtos. Os fogos têm classificação de risco: A, B, C e D. Os artefatos A e B podem ser comercializados livremente e soltos por crianças, que devem ser supervisionadas por um adulto no momento da soltura. Já os produtos das categorias C e D somente podem ser adquiridos e soltos por pessoas adultas, maiores de 18 anos. Os fogos da categoria D são utilizados para shows pirotécnicos e precisam de técnico responsável para soltura.

Kuroishi recomenda que as pessoas sigam as instruções da caixa sobre como fazer a soltura. Segundo ele, não se deve soltar fogos perto de residências, de aglomeração de pessoas, da rede elétrica etc. A soltura deve ser feita em local isolado para evitar acidentes. Além dos fogos de artifício, a soltura de balões também é comum nas festas juninas e julinas. O diretor alerta que soltar balões é crime previsto no artigo 42 da Lei de Crimes Ambientais.

Kuroishi comenta que as pessoas que soltam balões desconhecem os riscos que eles representam. Eles podem cair sobre vegetação, residências e locais com concentração de pessoas, causando acidentes de grandes proporções.

O áudio completo com a entrevista pode ser conferido no player abaixo.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Notícias:

Prefeitura altera trânsito na Visconde com a Avenida 32

Prefeito de Santa anuncia abono salarial de R$ 400,00 em dezembro