Carine Corrêa

Polícia instaurou inquérito para investigar ocorrência envolvendo uma menor de 14 anos
Polícia instaurou inquérito para investigar ocorrência envolvendo uma menor de 14 anos

O caso de estupro registrado no último dia 21 em boletim de ocorrência envolvendo uma menor de 14 anos segue em segredo de justiça, situação em que se mantêm sob sigilo processos judiciais ou investigações policiais que geralmente são públicos.

O episódio repercutiu, já que uma declaração da polícia colocou em dúvida a possibilidade da violência sexual. Um inquérito foi instaurado para investigar o caso, para que, segundo pronunciamento das autoridades, “não houvesse injustiça mediante uma autuação improcedente”.

O Coletivo Feminista de Rio Claro Maria Maria encaminhou uma carta em repúdio às declarações. Em um dos pontos, o movimento questiona a postura das autoridades em não ter esperado o laudo do IML e ter permitido a soltura dos acusados sem solicitar prisão preventiva.

A matéria na íntegra você confere na edição impressa do JC desta quarta-feira, dia 28. Se você é assinante, clique aqui e acesse a edição digital.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Notícias:

Pharoah Sanders, saxofonista e lenda do jazz, morre aos 81 anos

Cresce número de crianças registradas por mães solo

JC nas Eleições debate dificuldade para Rio Claro eleger deputados