Câmara aprova aumento do subsídio de prefeito, vice, secretários e vereadores do próximo mandato. Segunda votação é hoje e agora irão reduzir salário de assessores

A Câmara Municipal aprovou na noite dessa segunda-feira (15) os projetos de lei que visam reajustar os subsídios dos futuros políticos eleitos e nomeados no poder público rio-clarense, isto é, do prefeito, vice-prefeito, secretários municipais e dos próprios vereadores, todos para o mandato de 2025 a 2028.

Em meio a protestos de manifestantes que compareceram ao plenário para se colocarem contra os aumentos, os parlamentares deram a maioria dos votos favoráveis para que os projetos sejam votados em segundo turno já na noite desta terça-feira (16). Já o projeto que aplica o proporcional de férias e 13º salários aos políticos será votado somente em 10 dias.

Servidores e população em geral compareceram à sessão da Câmara Municipal para protestar contra os reajustes salariais.

Os vereadores Moisés Marques (PP) e Rafael Andreeta (sem partido) votaram contra a mudança na Lei Orgânica do Município, que faz a previsão de férias e 13º salários, e também ao projeto que aumenta os salários na Prefeitura de Rio Claro. Carol Gomes (Cidadania) alegou que votou errado e que votará contra na segunda discussão. Já no que diz respeito ao projeto que reajusta o subsídio dos próprios legisladores da Casa de Leis foram contra, além de também Marques e Andreeta, os vereadores Val Demarchi (União Brasil), Rodrigo Guedes (União Brasil), Thiago Yamamoto (PSD) e Vagner Baungartner (PSDB). Os demais foram favoráveis a todos projetos.

Durante a votação, Carol apresentou um projeto de lei que promove a redução salarial dos salários dos próprios assessores dos vereadores, também na próxima legislatura. Segundo ela, com essa mudança haverá impacto zero no aumento dos outros subsídios votados ontem. No mês passado, a Casa de Leis havia aumentado esses salários dos funcionários comissionados e concursados. O vereador Serginho Carnevale (União Brasil) também destacou que essa mudança favorece o equilíbrio econômico dos cofres públicos de Rio Claro.

Atualmente o subsídio dos vereadores é de R$ 8,2 mil. A partir de 2025, será de R$ 16,5 mil no primeiro mês e de R$ 17,4 mil a partir do segundo mês. Já dentro da Prefeitura de Rio Claro, os atuais R$ 19,2 mil do subsídio do prefeito chegarão a R$ 28 mil. Do vice-prefeito, dos R$ 13,4 subirá para R$ 21 mil e dos secretários, que hoje estão em cerca de R$ 10 mil, serão de R$ 18 mil.

Mais em Política: