No último sábado (8), por volta das 23h, um desentendimento entre vizinhos resultou em ofensas, agressão e caso de polícia em Rio Claro. Conforme relata uma das vítimas, reconhecido pastor do município, o morador foi até a sua residência, localizada num condomínio, e começou a bater fortemente na porta principal do imóvel. Ao sair para verificar o que estava acontecendo, começou a ser ofendida verbalmente.

“Eu, meu filho e amigos dele, que são praticamente da família, estávamos fazendo um churrasco em casa, com total harmonia, respeito aos horários e sem importunação do sossego. Foi quando ouvi as batidas na porta, saí para verificar quem era e vi que era o vizinho. Então, indaguei dele sobre o que estava acontecendo frente àquela truculência. Logo, o agressor começou a me ofender, xingar minha família e amigos. Em nenhum momento ele se queixou de suposto barulho ou qualquer incômodo que pudesse justificar a atitude”, relembra o pastor.

Segundo consta, na discussão, o agressor teria começado a torcer e esmurrar o braço da vítima, que chamou pelo filho e logo os amigos foram prestar socorro. Mesmo assim, as agressões teriam continuado.

Publicidade

“Quebrei o braço e lesionei o pé esquerdo, e meu filho teve esmagamento de septo com suspeita de aprofundamento facial. Diante disso, tomaremos as medidas necessárias e pertinentes diante da lei”, conclui o pastor.

Mais em Dia a Dia:

Rio Claro tem 4.661 casos de Covid-19 e 135 óbitos

‘Meu segundo lar’, fala motorista de caminhão