Tauan Inacio da Silva e Adriana Cristina Ribeiro.

Rio Claro registra duas mortes violentas em menos de 24 horas. Mulher foi morta no Santa Elisa e jovem, assassinado no Cervezão

Rio Claro registrou dois homicídios em menos de 24 horas. O primeiro vitimou Adriana Cristina Ribeiro, de 50 anos, na noite de terça-feira (25), no bairro Jardim Santa Elisa, e o segundo, na manhã de quarta-feira (26), no Cervezão, vitimando Tauan Inacio da Silva, de 22 anos. Com o registro das duas novas mortes violentas, o município já registra 17 homicídios em 2023. O corpo de Adriana foi sepultado no Cemitério Municipal e de Tauan no Cemitério Memorial Cidade Jardim.

AVÓ MORTA

Adriana Cristina Ribeiro, de 50 anos, faleceu após receber ao menos dois golpes de faca na região do pescoço, no início da noite de terça-feira (25), no bairro Jardim Santa Elisa.

De acordo com informações da ocorrência, o crime teria sido cometido por seu neto de 15 anos, que teria ligado para o pai, contado sobre o crime e pedido desculpas. O adolescente teria também acionado a Polícia Militar através do 190, mas, quando as equipes chegaram ao local, apenas a vítima – já falecida e uma testemunha encontravam-se no local. Ainda segundo registro, a mulher teria passagens no meio policial por tráfico de drogas.

A arma do crime foi apreendida na cozinha da residência e a autoridade policial responsável, diante do caso, solicitou a apreensão do adolescente infrator, que segue foragido.

ARMA FURTADA

Tauan Inacio da Silva, de 22 anos, faleceu na manhã de quarta-feira (26), na região do pontilhão do bairro Cervezão, localizado na Rua 6, após receber cinco tiros durante uma acalorada discussão com um indivíduo – já identificado e detido pela polícia.

Segundo consta no registro, um policial militar fora de seu horário de serviço contribuiu para a prisão do possível autor do crime, um indivíduo de 24 anos.

Já na tarde de quarta, a Polícia Civil conseguiu descobrir a origem do armamento utilizado no crime contra Tauan. O revólver teria sido furtado pelo seu homicida, no dia 7 de julho deste ano, juntamente com outra arma e uma quantia em dinheiro, na Avenida Saburo Akamine. Em ambas as ocasiões, o indivíduo trajava as mesmas roupas – no furto e no homicídio.