Barcos com turistas fazem passeios na região de Capitólio (MG) – Joel Silva – 2 out.2021/Folhapress

LEONARDO VIECELI – RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) – Duas pessoas morreram em um acidente com uma embarcação na noite de sábado (18) no lago de Furnas, em Capitólio, no sul de Minas Gerais.

Segundo a Polícia Civil, uma chalana virou parcialmente e provocou as duas mortes. As vítimas foram um homem de 62 anos e uma mulher de 22, de acordo com a instituição.

Conforme a Ameg (Associação Pública dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Grande), informações iniciais indicaram que uma lancha com 14 passageiros apresentou problemas mecânicos e solicitou apoio de outra embarcação para o resgate das pessoas.

A chalana, que teria outros dez passageiros, teria ido ao encontro da lancha. Quando as pessoas resgatadas começaram a entrar na chalana, ela virou devido ao peso, conforme as informações preliminares.

De acordo com a Polícia Civil, o homem de 62 anos que morreu no acidente era natural de Penápolis (SP). A outra vítima, a jovem de 22 anos, era do município de Machado (MG). Os nomes não foram divulgados. Outras pessoas envolvidas no acidente teriam sofrido apenas escoriações leves.

Em nota, a Marinha do Brasil afirmou que enviou imediatamente uma equipe de busca e salvamento ao local da ocorrência na noite de sábado. Ao chegar a esse ponto, a equipe verificou que os passageiros já haviam sido socorridos e que as duas pessoas vieram a óbito, diz o comunicado.

“A embarcação que naufragou estava prestando auxílio a uma outra que se encontrava à deriva no lago de Furnas, com problemas de máquinas. O emborcamento ocorreu no momento de embarque dos passageiros. A MB [Marinha do Brasil] lamenta o ocorrido e se solidariza com os familiares e amigos das vítimas”, relatou.

“Serão emitidas notificações aos proprietários e condutores, para que prestem esclarecimentos sobre o ocorrido e providenciem a reflutuação da embarcação. Um inquérito será instaurado para apurar causas, circunstâncias e responsabilidades da ocorrência, bem como colher ensinamentos para reduzir a probabilidade de situações análogas no futuro”, completou.

TRAGÉDIA EM JANEIRO
Capitólio é um tradicional destino turístico devido aos cânions, que costumam ser vistos em passeios de barco pelo lago de Furnas.

Em janeiro, o local registrou outra tragédia. O desabamento de uma rocha matou dez pessoas na ocasião.
A Polícia Civil já encerrou a investigação sobre a queda do paredão e concluiu que o episódio ocorreu devido a causas naturais, sem influência humana. O turismo na região foi reaberto com restrições.

A maioria dos visitantes do chamado ‘mar de Minas’ é da capital paulista, de cidades do interior de São Paulo e da capital mineira, segundo agências de turismo locais.

POLÍTICOS LAMENTAM NOVO ACIDENTE
No comunicado da Ameg, o prefeito de Capitólio, Cristiano Silva, lamentou o novo acidente e prestou solidariedade às vítimas.

“Nosso respeito às famílias enlutadas neste acidente. Temos trabalhado constantemente para aumentar a segurança na região. Todas as embarcações são obrigadas a fornecer coletes salva-vidas em número suficiente para todos os passageiros e tripulação”, afirmou. Segundo ele, vários passageiros usavam o colete no momento do acidente.

A Ameg também lamentou as mortes e prestou solidariedade. “Em nome de todos os municípios que compõem a Ameg, nos solidarizamos com familiares e amigos das vítimas fatais bem como aqueles que escaparam ilesos deste lamentável acidente e reafirmamos o compromisso de todos os gestores municipais da região, bem como da Marinha do Brasil, sediada em Furnas, de garantir a navegabilidade segura para todos no nosso mar de Minas”, afirmou o presidente da entidade e prefeito de Carmo do Rio Claro, Filipe Carielo.

A sua assinatura é fundamental para continuarmos a oferecer informação de qualidade e credibilidade. Apoie o jornalismo do Jornal Cidade. Clique aqui.

Mais em Notícias:

Prefeitura altera trânsito na Visconde com a Avenida 32

Prefeito de Santa anuncia abono salarial de R$ 400,00 em dezembro