Regina Duarte recebe R$ 6 mil de pensão militar

533

Segundo dados do Ministério da Defesa obtidos pelo ‘Estadão Verifica’, Regina Duarte, convidada para assumir a Secretaria Especial de Cultura, pelo presidente Jair Bolsonaro, recebe R$ 6.843,34 mensais de pensão militar. Jesus Nunes Duarte, pai da atriz, foi primeiro-tenente do Exército e morreu em 1981, em um acidente de carro.

Regina recebe o benefício desde 1999. Ela teve três casamentos antes do atual com Eduardo Lippincot. Diferentemente do que ocorre em outros órgãos públicos, como a Polícia Militar de São Paulo, em que apenas as filhas com estado civil de solteiras recebem pensão, o benefício para filhas de militares das Forças Armadas é irrestrito na maior parte dos casos. Procurada, a assessoria de imprensa da atriz disse que não comentará o caso.

Contas reprovadas pelo MinC

A atriz teve as contas de uma peça de teatro reprovadas pelo governo federal, em 2018, e ficou obrigada a devolver aos cofres públicos R$ 319 mil, quase o valor total que conseguiu obter junto à iniciativa privada, em troca de renúncia fiscal. A peça é um dos projetos de sua empresa.

Por meio do Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac), ela foi autorizada a captar R$ 408.540. Obteve de fato R$ 321 mil, dos quais R$ 319.614,75 deveriam ser restituídos ao Fundo Nacional da Cultura. A portaria com a decisão foi publicada em março de 2018 no Diário Oficial da União, assinada pelo então secretário de Fomento e Incentivo à Cultura, José Paulo Soares Martins, do extinto Ministério da Cultura, no governo Michel Temer.

O projeto intitulado Coração Bazar consistia na montagem e apresentação de um espetáculo, de autoria de Lenita de Sá, com adaptação dramatúrgica de Lauro César Muniz. Ele ficou em cartaz na cidade de São Paulo.

Segundo noticiou a revista Veja, André Duarte, filho de Regina e diretor da empresa, disse que a exigência de devolução do valor ocorreu porque não foram entregues ao Ministério da Cultura os comprovantes de que os ingressos eram gratuitos, contrapartida do contrato. Um recurso para mudar a decisão foi apresentado pela firma.

‘Casamento’

Regina Duarte passa por uma fase de “testes” na Secretaria Especial de Cultura, em Brasília. Mesmo sem ter confirmado a sua entrada no governo Jair Bolsonaro, a atriz escolheu na quinta, 23, como “número 2” da secretaria a reverenda Jane Silva, atual secretária de Diversidade Cultural da pasta. Em 2018, Regina fez uma viagem a Israel organizada por Jane. Foi quando a relação das duas se fortaleceu.

No governo, apesar de a nomeação de Regina ainda não ter sido confirmada, é dado como certo que ela assumirá a função. Bolsonaro afirmou ontem que deve formalizar o “casamento” com a atriz como chefe da secretaria no final da próxima semana. “Continuo namorando”, respondeu ele após questionamento dos repórteres. “Acredito que na quarta ou quinta a gente assina no cartório e faz o casamento.”

O presidente está em missão em Nova Délhi, na Índia, onde vai permanecer por quatro dias e é convidado de honra do primeiro-ministro Narendra Modi para a cerimônia do Dia da República da Índia, no domingo, 26. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

1 COMENTÁRIO

  1. Parece que um coro de pessoas com viés de esquerda estão agindo desde o lançamento da candidatura à presidência por Bolsonaro, uma orquestração porque Bolsonaro ameaça interesses das pessoas do politicamente correto. Infelizmente a caça as bruxas parte da imprensa que se moldou após o regime militar deixando para trás a hierarquia, a valorização pessoal e com isso governos anteriores montaram um esquema assistencialista tanto para as pessoas que preferem estender as mãos em busca de ajuda dos governos do que arregaçar as mangas e ir a luta sem se importar em perder a dignidade e assim esse comportamento se estende aos veículos de comunicação. Tivemos governos corruptos que prejudicaram em muito os brasileiros mas nunca tiveram uma imprensa tão militante como agora, fosse um governo da esquerda estaria roubando o povo numa numa boa, agora como se trata de alguém que incomoda, querem uma pessoa perfeita mesmo dentro da lei. Aqui não se trata de infringir a lei o que para a mídia não interessa pois querem mesmo é atacar com segundas intenções e eu não tenho dúvidas nenhuma. Tenho visto tantos ataques ao governo que me faz lembrar da celebre frase, “de pessoas bem intencionadas o inferno está cheio”, ora essa o governo mudou pela democracia e por essa mesma democracia devemos respeitar que o governo mudou. Desde o fim do regime militar, governos poderiam ter feito muito e não fizeram quase nada pra um país com potencial como o Brasil tem, aliás mergulharam nosso país no maior golpe de corrupção de toda história da nossa nação.

Qual sua opinião? Deixe um comentário: